Ciro Gomes: “O Brasil abriu mão de ter um projeto nacional de desenvolvimento”

Em palestra na abertura do Congresso do Mato Grosso, ex-ministro da Fazenda expôs os entraves ao crescimento do País

A política de desenvolvimento nacional, o combate às exorbitantes taxas de juros e a estagnação da indústria brasileira foram o cerne da palestra de Ciro Gomes, ex-ministro da Fazenda e ex-governador do Ceará, na abertura do Congresso Estadual do Mato Grosso. Ao escancarar os pilares que travam o crescimento do Brasil, o também ex-ministro da Integração Nacional foi categórico. “O Brasil abriu mão de ter um projeto nacional de desenvolvimento”.

Para o palestrante, há um “desmonte do Estado para entregar a forças de mercado”. “O neoliberalismo foi um mecanismo estúpido. Regredimos aos valores de 1910, hoje a indústria não chega a 9% do PIB”, criticou.

Segundo Ciro Gomes, também é inaceitável que a União gaste 48,3% do Orçamento para pagar juros da dívida. Nesta análise, o ex-ministro destacou o grave desequilíbrio fiscal do País. “ É a maior encalacrada de finanças públicas da história do Brasil”, disparou. O palestrante afirmou que o orçamento previsto como investimento no País em 2017 “dá o menor volume desde a Segunda Guerra Mundial”, o que equivale a 0,4% do PIB. Para o político, o colapso nas contas públicas é um pilar fundamental para a estagnação econômica. “De juro para banco, o Brasil gasta 11% do PIB”, contrapôs Gomes.

Lembrando o atual cenário de desemprego, no qual 14,3 milhões de pessoas estão sem trabalho e outras 9 milhões estão na informalidade, o ex-ministro ressaltou o pífio crescimento desde a década de 1980. “O Brasil cresceu 2% de lá para cá. Na média, o País está estagnado pelo ponto de vista da sua renda relativa”, apontou.

 

 

Saídas

Ao criticar duramente o processo de desnacionalização da produção brasileira, Ciro Gomes revelou setores fundamentais que têm seus materiais vindos de fora do País. “80% da química fina de nossos remédios são importados. As fibras que fazem as nossas roupas são estrangeiras. Os celulares são importados. O resultado prático disso é a geração de um desequilíbrio nas contas externas que não temos como pagar”, salientou.

Na análise do ex-ministro, a defesa, saúde, o agronegócio e os setores de petróleo e gás são os grandes complexos com força suficiente para mudar o atual panorama. “Com isso, o Brasil sai do desequilíbrio e a gente pode então imaginar uma moeda estável e aí podemos tratar de uma reforma tributária mais agressiva, de uma reforma da Previdência que não tire direitos e siga uma temática de financiamento para o futuro”, argumentou Ciro, que condenou a PEC 287 ao afirmar que a reforma previdenciária proposta pelo governo mantém os privilégios em detrimento das mulheres e dos trabalhadores rurais.

Ciro Gomes destacou o papel do movimento sindical, especialmente o da CSB na promoção de eventos que proponham o debate da conjuntura social, política e econômica do País. “O Brasil precisa organizar sua classe trabalhadora a partir da lógica dos interesses dos trabalhadores. A participação do povo trabalhador há de ser para lutar. Nesse momento estamos com uma chance de ganhar a parada da reforma trabalhista, que retorna práticas selvagens do século 19. E a luta da CSB está sendo exemplar”, atestou.

Veja a galeria de fotos

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores