Cidades registram panelaços contra Bolsonaro durante e depois de pronunciamento

Em São Paulo, Rio, Recife, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Fortaleza e outros municípios, pessoas bateram panelas pelo segundo dia seguido contra o presidente. Também houve, em número bem menor, manifestações a favor de Bolsonaro.

Pelo segundo dia seguido, cidades brasileiras registraram panelaços contra o presidente Jair Bolsonaro. Na noite desta quarta-feira (18), os protestos ocorreram durante e após pronunciamento no Palácio do Planalto sobre a pandemia do novo coronavírus. Houve também, em número bem menor, manifestações favoráveis ao presidente.

São Paulo, Rio, Recife, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre, Natal, Florianópolis e Curitiba foram algumas das capitais que tiveram gritos de “fora, Bolsonaro!” a partir das 19h.

No pronunciamento, Bolsonaro disse que gostaria de demostrar “união e harmonia”. Estavam ao seu lado o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, o procurador-geral da República, Augusto Aras, e outros ministros. Bolsonaro e as demais autoridades voltaram a usar máscaras.

Em entrevista coletiva mais cedo nesta quarta, o presidente afirmou que o governo “está ganhando de goleada” e pediu que o trabalho do executivo e ele próprio sejam exaltados. Voltou ainda a defender sua participação nos atos de domingo (15), quando descumpriu a recomendação de monitoramento por coronavírus e cumprimentou apoiadores no Distrito Federal.

Durante as declarações do presidente, bairros do Rio registraram panelaços e gritos de “fora, Bolsonaro!” – foi uma repetição dos protestos ocorridos na véspera em cidades como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Recife.

Nesta terça-feira (17), as manifestações ocorreram depois de o presidente falar, mais de uma vez, em “histeria” em relação ao novo coronavírus e de dizer que ações de governadores sobre isolamento prejudicam a economia.

Nesta quarta, Bolsonaro classificou de “manifestação da democracia” aqueles primeiros panelaços. Sobre os atos de 15 de março, afirmado: “Não convoquei ninguém”. A declaração foi dada dias depois de ele ter dito, em Boa vista (RR): “Então, participem”.

Fonte: G1

Compartilhe:

Leia mais
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto que altera regras do Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto
Ministro Carlos Lupi e José Avelino Pereira Sinab CSB
Presidente do Sinab assume posto no Conselho Nacional de Previdência Social