cni

Centrais e CNI tentam diálogo para unificar ações de combate ao COVID-19

Em vídeo conferência realidade na manhã deste domingo (29), presidentes das centrais sindicais (CUT, Força, UGT, CTB, CSB e Nova Central) discutiram com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, os problemas causados pela avanço da pandemia do corona vírus no Brasil e a elaboração de propostas que visem proteger a vida das pessoas, garantir renda aos trabalhadores e ajuda governamental para a sobrevivência das empresas.

“Estamos diante de um cenário de guerra. Milhões de vidas correm perigo e as medidas e ações do governo federal tentam levar os trabalhadores brasileiros e os empresários a pularem no abismo. É mais do que evidente que a paralisação da economia será muito mais aguda e severa no segundo semestre se não fizermos um isolamento total nesse momento. A prioridade agora deve ser de criarmos as condições e cobrança do apoio do Estado para que a quarentena ocorra agora, garantindo a renda das pessoas o funcionamento dos setores fundamentais. Depois será tarde demais”, afirmou o presidente da CSB, Antonio Neto, logo após a Conferência.

Mesmo após criticar duramente a posição da CNI pelo apoio à MP 927 editada pelo governo Bolsonaro, as centrais sindicais entendem que nesse momento de pandemia o mais importante é unificar esforços de todas as instituições e setores sociais para uma ação coordenada e nacional que possa salvar a vida de milhares de brasileiros.

Segundo os participantes da reunião, a CNI adiantou que defende junto ao governo o adiamento do pagamento dos impostos, a revalidação de licenças e certidões, financiamento para pequenas e médias a fim de para garantir salários dos empregados, além da criação de fundo garantidor do Sesi de R$ 500 milhões para a garantia dos financiamentos de pequenas e medias empresas , que não poderão demitir.

Centrais e CNI divulgarão um documento unitário com propostas para os governos federal e estaduais, além da busca de acordos nacionais e setoriais que estabeleçam as bases para os sindicatos buscarem os entendimentos em suas bases.

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra