Justiça acata ação das centrais que pede responsabilização dos sócios das Americanas

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10ª região acatou nesta quarta-feira (24) uma ação movida por representantes dos trabalhadores para que fosse aberto um procedimento para desconsiderar a personalidade jurídica das Americanas e responsabilizar o patrimônio pessoal dos três controladores do grupo, Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Herrmann Telles.

A ação foi ajuizada pela centrais sindicais e confederações representativas dos trabalhadores do comércio. São elas: Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central Única dos Trabalhadores (CUT); União Geral dos Trabalhadores (UGT); Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB); Força Sindical (FS); Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST); Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (CONTRACS-CUT); e Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).

Relacionada: Nota das centrais sobre fraude das Americanas: proteger os trabalhadores

O secretário jurídico da CUT, Valeir Ertle, disse que a decisão demonstra que a luta dos trabalhadores está “no caminho certo”.

“Agora teremos a chance de mostrar que os bilionários que controlam o Grupo Americanas deveriam saber das fraudes que fizeram a empresa chegar onde está. Os mais de 35 mil trabalhadores diretos e indiretos da Americanas não podem pagar pela fraude. Responsabilizar os sócios é a única forma de defender a empresa e os empregos”, afirmou.

Julimar Roberto, presidente da Contracs, a responsabilização dos sócios pode contribuir para que outras empresas sejam mais diligentes em suas práticas.

“Não é possível que uma má gestão coloque em risco milhares de empregos no comércio. Não é bom pro comércio e não é bom pro Brasil. Vamos mostrar que os sócios controladores são responsáveis pela crise em que se encontra a empresa. Essa vitória é passo importante para a defesa dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras da Americanas e de todo o comércio”, disse.

O advogado José Eymard Loguercio, sócio da LBS Advogadas e Advogados, que representa as entidades dos trabalhadores na ação, explicou que agora o processo voltará para a primeira instância, para que seja feito o procedimento de desconsideração da personalidade jurídica do Grupo Americanas.

“É um precedente que reforça a jurisdição da Justiça do Trabalho para casos semelhantes e permite que desvios de conduta praticados por indivíduos no controle de sociedades milionárias não coloquem em risco a empresa e o emprego dos trabalhadores”, pontuou.

Compartilhe:

Leia mais
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande