WhatsApp-Image-2017-08-11-at-23.28.30-e1502740621399

70 trabalhadores já participaram da 1ª Jornada Sindical promovida pelo Sinfa/MA em oito cidades

Evento ainda passará por mais dez municípios e pretende capacitar os servidores da Fiscalização Agropecuária sobre a relevância do movimento sindical

Em meio a um cenário político que exige a mobilização da sociedade contra a aprovação e aplicação de reformas fomentadas pelo interesse do capital, o Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Estado do Maranhão (Sinfa/MA) tem promovido, desde maio deste ano, a 1ª Jornada Sindical. Com o objetivo de qualificar seus filiados para fortalecer a organização dos trabalhadores, a iniciativa percorrerá 18 cidades maranhenses explicando a importância dos sindicatos para a defesa e as conquistas dos direitos da categoria.

Até o momento, oito municípios já receberam o evento – Itapecuru-Mirim, Caxias, São João dos Patos, Presidente Dutra, Barra do Corda, Santa Inês, Viana e Rosário – e cerca de 70 trabalhadores acompanharam as atividades. A meta, de acordo com o presidente do Sinfa/MA, Saraiva Junior, é ainda alcançar 40% dos 310 filiados à entidade. Atualmente, o Sindicato é responsável por representar 315 profissionais no estado.

“A Jornada foi pensada para este momento em que o movimento sindical sofre ataques de todos os lados [principalmente, com a sanção da reforma trabalhista]. Nós já temos um trabalho muito forte com os dirigentes, que é o Seminário de Formação Sindical já na sua quinta edição, mas a Jornada está focada na base, com quem nós contamos para ir à luta. Isso porque, em muitos casos, ela desconhece totalmente o funcionamento de um sindicato. E isto nos chamou a atenção para começarmos a colocar em prática este trabalho árduo”, explica Junior.

Segundo o sindicalista, as atividades começam antes mesmo do início da Jornada com uma reunião na regional que receberá o evento. Só depois dessa prévia discussão a respeito da conjuntura nacional, estadual e local é que se aprofunda o debate junto a todos os trabalhadores interessados. Ainda conforme o presidente, o cronograma da Jornada é de um dia (geralmente, às sextas-feiras e aos sábados) e engloba temas, como: greve, estrutura sindical no País, imposto sindical, esclarecimentos sobre organização de assembleias e mobilizações nos sindicatos, além do papel e importância das centrais sindicais na construção de um espaço de debate e deliberações democrático.

“Decidimos fazer a Jornada para que possamos colher resultados em um futuro próximo. Somos uma categoria relativamente nova, temos um sindicato com quase 11 anos de história e neste tempo já conseguimos várias conquistas, mas precisamos avançar. E para avançarmos, é necessário que qualifiquemos nossa base. Infelizmente, o trabalhador não dá valor às instituições sindicais porque não conhece nosso trabalho. Por isso, temos divulgado e dedicado um capítulo exclusivo para a CSB, e cada regional também tem trazido mais de 20 lideranças sindicais para fazer parte do evento, o que enriquece muito nosso trabalho. O resultado tem sido excelente”, destaca Junior.

Após a realização da 1ª Jornada em Rosário, na última sexta-feira (11), as próximas atividades serão promovidas em Pedreira e Bacabal, onde já ocorreram as reuniões. Em Pedreira, o evento acontecerá no próximo sábado (19/08).

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra