15 de maio: Dia do Assistente Social

“Olhar, sentir, pensar e fazer o mundo mais justo, igualitário e acessíveç a todos é o que move nossa profissão” – Diretoria SASERS

O Dia do Assistente Social surgiu a partir da aprovação da Lei nº 3.252, de 27 de Agosto de 1957, através do Decreto Federal nº 994, de 15 de Maio de 1962, que regulamenta e oficializa a profissão no Brasil.

No entanto, em 1993, a Lei nº 8.662, de 7 de Junho de 1993, revoga a Lei de 1957 e aplica uma nova Lei de Regulamentação da Profissão.

O ASSISTENTE SOCIAL é o profissional habilitado para atuar nas questões sociais e nas políticas sociais públicas, amparando pessoas que não têm acesso pleno à cidadania. Estes trabalhadores ajudam os cidadãos a resolver problemas ligados, entre outros, à educação, habitação, ao emprego, saúde, contribuindo não só no combate à desigualdade, mas também na construção de uma sociedade justa e igualitária.

O que caracteriza a prática do Assistente Social é a defesa intransigente dos direitos humanos e recusa do arbítrio e autoritarismo, seu posicionamento em favor da equidade e justiça social, que assegure universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas/políticas sociais, sua gestão democrática, o compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o aprimoramento profissional.

O sindicalismo no Serviço Social está sendo retomado desde o ano 2000 com a reabertura de vários sindicatos no Brasil. O SASERS tem uma história de 59 anos de vida voltada para a garantia de direitos da categoria e para avanços no mundo do trabalho.

“Nosso papel como sindicalista é de contribuir para que cada colega de profissão tenha consciência de que fazemos parte da classe trabalhadora e que, juntos, podemos transformar em soluções coletivas problemas aparentemente individuais”, completa Eliane Gerber.

“Pensamos sindicalismo como meio de aproximar, valorizar e lutar por pessoas, assistentes sociais de várias áreas, representando-as nas lutas por maior valorização profissional, melhores condições de trabalho, avanço nas negociações coletivas e nas discussões do seu papel no mundo e na sociedade”, complementa a presidente.

“Resistir e aprimorar os métodos de gestão para fortalecer o SASERS tem sido a tônica da nossa prática. Ampliamos nossa capacidade negocial em 700%, garantimos nas CCT’s a jornada das 30 horas e piso salarial no Rio Grande do Sul”, enfatiza a presidente do sindicato dos assistentes sociais.

Fonte: SASERS

Compartilhe:

Leia mais
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores