Central dos Sindicatos Brasileiros

Em Minas Gerais, a Central dos Sindicatos Brasileiros sai em defesa da segurança do trabalhador

Em Minas Gerais, a Central dos Sindicatos Brasileiros sai em defesa da segurança do trabalhador

Visando discutir questões relativas à segurança e à saúde no ambiente de trabalho, dois eventos ocorreram nos dias 10 e 11 de setembro – terça e quarta-feira – na Fundacentro de Minas Gerais.

O primeiro encontro, realizado na última terça-feira, tinha como foco acompanhar a consulta pública referente as Normas de Segurança e Saúde do Trabalho. Tal consulta, que está presente no site Participa.br, tem como pauta propor revisões nas Normas Regulamentadoras (NRs), que são um conjunto de cláusulas que visam tornam mais seguro o ambiente profissional. Para o secretário nacional de segurança do trabalho da CSB, Claudio Ferreira, as normas devem atender aos interesses dos trabalhadores, fundamentais para que eles construam e enxerguem locais de serviço mais propícios. Dessa forma, a participação dos profissionais é importantíssima. “É importante que os profissionais entrem no site e deem a sua opinião em determinada norma”, ressaltou.

Já no segundo encontro, que aconteceu na quarta-feira, além de dar continuidade aos debates, foi também anunciada a Proteminas – Feira Mineira de Segurança, que acontecerá nos dias 27, 28 e 29 de maio de 2020. O evento apresentará uma série de equipamentos, tecnologias e atitudes a serem aplicadas na prevenção de doenças e acidentes de trabalho. Além disso, a feira é um importante evento comercial. “As feiras de segurança diminuíram muito. Com essa ausência, a Proteminas vai preencher esse vazio, além de movimentar quantias milionárias”, disse Claudio.

Em um contexto de desmonte das ferramentas jurídicas e trabalhistas que visam garantir a saúde e o bem-estar dos profissionais no ambiente de trabalho, em que as Normas Regulamentadoras (NRs) estão sendo modificadas e, até mesmo, abolidas, a CSB vem se posicionando contra esse sucateamento, em defesa da segurança do trabalhador, como garantiu Claudio. “Existi um senso de que segurança do trabalho não é importante. Por isso, nós da CSB, vamos coordenar essa função, para que as normas de segurança não sofram com a precarização”.

Texto por Caio Ramos
Revisado por Vitor Imafuku

 

Be Sociable, Share!