Endividamento de famílias bate recorde e deve piorar crise no Brasil

O endividamento das famílias brasileiras bateu recorde, com o valor total das dívidas chegando a 59,9% da renda média anual, segundo dados mais recentes do Banco Central. O resultado de junho é o maior patamar desde o início da série histórica do BC, em 2005

Com a inflação em alta e a perspectiva de um aperto maior de juros, analistas alertam que o orçamento comprimido das famílias com dívidas será um limitador adicional ao crescimento da economia nos próximos meses.

Mesmo sem considerar os financiamentos imobiliários — um crédito mais “saudável” por ser de longo prazo e representar um investimento das famílias — o endividamento é recorde: 37%. Até julho do ano passado, este patamar nunca tinha superado 30%.

Pressão no orçamento

Em média, segundo dados do BC, o comprometimento mensal de renda das famílias com o pagamento de juros e prestações — incluindo dívidas mais longas, como financiamento imobiliário, e outras de curto prazo, como cartão de crédito ou parcelamento de compras — chegou a 30,9% em agosto, também em alta.

A inadimplência se mantém estável, em 4,2%, mas analistas temem que o peso da inflação — que chegou a 10,25% na taxa acumulada em 12 meses até setembro — force as famílias a atrasarem as prestações com o orçamento já apertado.

—Quando o consumidor paga mais caro por gasolina, alimentos, energia, começa a enfrentar dificuldades de honrar compromissos financeiros assumidos previamente. É um risco pela inflação, não por excesso de endividamento — diz Luis Rabi, economista sênior da Serasa Experian.

Simão Davi Silber, professor sênior do Departamento de Economia da USP e Pesquisador da FIPE, lembra que o consumo das famílias representa dois terços do Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e serviços produzidos pelo país).

Dívidas mais caras

E, a partir de agora, as dívidas ficarão mais caras com a perspectiva de aumento na taxa de juros pelo BC, hoje em 6,25% ao ano, justamente para conter a inflação:

— Para famílias com renda comprometida, o dilema vai ser tomar banho frio para comer. Estamos chegando a este nível, dada a pressão sobre o orçamento. Isso indica que as famílias têm capacidade de (consumo) comprometida ao longo de 2021 — avalia Silber.

Para Fabio Bentes, economista sênior da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o desemprego elevado, que atinge mais de 14 milhões de pessoas, agrava o quadro.

Mas ele avalia que a curto prazo, parte do desconforto poderá ser aliviado pelo avanço da vacinação e o aumento da circulação de consumidores no fim do ano. A expectativa da CNC é que esse movimento faça a contratação de temporários para o Natal ser a maior dos últimos oito anos:

— Há uma espécie de válvula que vai aliviar, ao menos até dezembro. Mas depois disso a gente não sabe porque entramos em um ano complicado.

Fonte: O Globo

Compartilhe:

Leia mais
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Links: centrais realizam reuniões sobre agenda legislativa nos estados