Central dos Sindicatos Brasileiros

Mototaxistas fazem manifestação contra transporte clandestino em Rio Branco (AC)

Mototaxistas fazem manifestação contra transporte clandestino em Rio Branco (AC)

Segundo Fenordest, há suspeitas de que motofretistas estejam transportando passageiros, o que não é permitido 

Contra suspeitas de irregularidades cometidas pelos motofretistas na capital acreana, aproximadamente 250 mototaxistas fizeram uma manifestação na manhã da última terça-feira (27), na Avenida Getúlio Vargas, em frente ao teatro Plácido de Castro, na cidade de Rio Branco (AC). Segundo a Federação Interestadual das Regiões Norte e Nordeste dos Trabalhadores em Transporte de Mototaxistas, Motoboys, Moto-fretes e Taxistas (Fenordest), os motofretistas, que têm autorização para transportar apenas cargas e pequenos volumes, estão transportando passageiros, o que é proibido, de acordo com a Lei 12.009. Além disso, a entidade pede mais fiscalização por parte das autoridades.

Para o presidente da Fenordest e vice-presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Pedro da Silva Mourão, esses fatos representam uma perda de 30% na renda dos trabalhadores que transportam passageiros com uma motocicleta. “Estamos em um período de crise no País, e os mototaxistas de Rio Branco não podem ter outro emprego. Se não tiver passageiro para pegar, vão passar fome”, disse Mourão.

Apesar de as duas categorias usarem placa vermelha e terem credencial da prefeitura, cada uma delas tem uma caracterização própria. “O veículo dos mototaxistas é branco, enquanto do motofretista é laranja. As cores do capacete e os adesivos são diferentes, além da cor do colete, que é amarelo do mototaxista, e dos motofretistas é preto”, completou o presidente da Federação.

O dirigente ressalta que os passageiros que utilizam esse serviço ilegal colocam a própria vida em risco, e deixam de usufruir de um serviço que conta com seguro especial e condutores preparados com cursos antes de irem para as ruas. Mourão acredita que algumas medidas, por parte do governo, ajudariam a conter os transportes ilegais.

“A implementação do mototaxímetro deixará mais evidente para o passageiro quem é quem. Além disso, a prefeitura poderia alterar a lei municipal e obrigar os motofretistas a colocarem o baú em seus veículos. Dessa forma, se alguém for pego na rua sem esse equipamento, a moto será aprendida, como na lei federal”, argumentou.

Caso o problema não seja resolvido, os mototaxistas farão um grande ato com o apoio dos taxistas.  A intenção é parar o centro de Rio Branco e exigir as mudanças e o cumprimento da lei. Com isso, a Federação espera também conscientizar a população da importância do tema.

Os motofretistas pegos transportando pessoas têm suas motocicletas apreendidas e recebem uma multa no valor de R$ 980. A fiscalização é feita por uma equipe especializada da prefeitura em parceria com a Polícia Militar (PM). Atualmente, em Rio Branco, existem aproximadamente 850 mototaxistas em atividade.

Compartilhe!