recepcao

Trabalho remoto exige profissional autônomo e líder que motive a distância

Organização, flexibilidade e intimidade com a tecnologia são habilidades cada vez mais valorizadas

home office imposto durante a quarentena evidenciou que o trabalho a distância exige competências distintas dos profissionais.

Organização, disciplina e pontualidade, por exemplo, são requisitos básicos para quem pretende continuar trabalhando de casa.

“É preciso se planejar e definir quais serão as tarefas do dia. Se for possível resolver tudo em menos horas, ótimo, a meta foi cumprida”, diz Reynaldo Gama, presidente da HSM, plataforma especializada em formação executiva.

Ao ficar longe do escritório, o profissional precisa estar ainda mais conectado à equipe, lembra Leila Monique Cardoso, gerente de recrutamento e seleção da consultoria Stato. E o ambiente digital exige uma comunicação clara e objetiva, completa ela.

Na quarentena, a gerente de marketing Angélica Quintela, 32, sentiu necessidade de reforçar a rotina de contatos com os cinco membros de sua equipe, no portal de imóveis Imovelweb. Além das reuniões com o grupo às segundas, ela passou a fazer conversas individuais quinzenais, de ao menos 30 minutos.

Mulher loira sentada em sacada com notebook no colo

O presidente da empresa, Leonardo Paz, afirma que saber liderar uma equipe a distância é uma das principais habilidades que serão exigidas dos gestores a partir de agora.

Mais do que pressionar por produtividade e controlar horários, o chefe deve saber motivar os colaboradores sem a troca presencial. Mas isso não dispensa o funcionário de ser cada vez mais autônomo.

“Há quem só produza com cobrança, o que não funciona no trabalho remoto”, afirma.

No retorno aos escritórios depois da pandemia, as equipes estarão menores, e os que ficarem terão de ser mais generalistas e estar preparados para abraçar novas tarefas. Isso exigirá mais flexibilidade dos profissionais.

Também se tornou fundamental demonstrar disposição para aprender e usar as novas tecnologias.

Mesmo com a volta ao escritório, as videoconferências não devem ser abandonadas, já que as empresas viram que podem economizar muito substituindo viagens e deslocamentos dentro da cidade por reuniões virtuais.

“As ferramentas evoluíram nos últimos meses, foram lançados muitos recursos novos. Não haverá mais espaço para quem se atrapalha com a câmera ou fala algo indevido com o microfone aberto”, diz Reynaldo Gama, da HSM.

recrutamento de novos profissionais a distância também já entrou na rotina das empresas, demandando adaptações dos candidatos.

O método já vinha sendo usado antes da quarentena, principalmente por empresas que costumam atrair talentos de outros países, e mostrou-se ainda mais eficiente agora, de acordo Cardoso.

Há plataformas que permitem ao candidato responder avaliações ao vivo pela internet, e outras que facilitam rodadas de entrevistas com vários membros da equipe.

Quando a entrevista é feita só pelo computador, a escolha da roupa, do penteado e da maquiagem são questões que caem para segundo plano.

“O candidato deve estar apresentável, claro, mas acho até exagerado usar terno e gravata, sabendo que ele está em casa. Mais importante é ter uma boa conexão com a internet, estar à vontade no vídeo e demonstrar domínio das novas tecnologias”, afirma a gerente de recrutamento.

COMO DEVE SER O PROFISSIONAL DO FUTURO

Sócio da escola de negócios StartSe, Mauricio Benvenutti lista as habilidades que credenciam o profissional para o novo mundo virtual

Objetividade Não há mais espaço para planos de longo prazo e decisões importantes precisam ser tomadas em poucos dias

Consciência digital É fundamental dominar ferramentas de videoconferência e saber se comunicar pela internet

Criatividade Em crises como a atual, soluções inovadoras fazem a diferença

Autogestão Sai na frente o profissional organizado, que tem autonomia e iniciativa

Via: Folha de S.Paulo

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra