Por mais licenças, taxistas se reúnem com prefeito do Rio de Janeiro

Segundo presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos do RJ, seriam necessárias cerca de 22 mil novas autorizações para amenizar o problema da categoria e atender à demanda da população

Diretores do Sindicato dos Taxistas Autônomos do Município do Rio de Janeiro, juntamente com representantes do movimento Autonomias Já, se reuniram na tarde da última segunda-feira (5), no Palácio da Cidade, zona sul da capital fluminense, de reunião com o prefeito Marcelo Crivella e outros secretários.

A reunião foi uma demanda dos taxistas da cidade após notícia de que o prefeito iria regulamentar aplicativos de transporte individual na capital.

Apesar disso, o diretor do Sindicato, Hildo Braga, esclareceu que o encontro com o chefe do executivo foi pautado pelo tema “autonomias”, que são as licenças concedidas pelo governo para que os taxistas exerçam a profissão.

“Após o anúncio do prefeito, fizemos uma nota de repúdio e uma reunião com as cooperativas parceiras. Em seguida, protocolamos um ofício na prefeitura, e o movimento Autonomias Já resolveu fazer uma manifestação na porta da prefeitura. Após negociações, conseguimos a reunião com o Crivella. Conversamos sobre o problema das autonomias, não falamos nada além deste tema, que era o ponto chave. A maioria reivindicações do grupo é esta: como vai se fazer uma regulamentação para carros particulares com tantos taxistas trabalhando como auxiliares”, falou Hildo, defende a ideia de que o correto é fornecer as autonomias para esses profissionais.

Ainda segundo Braga, que também é vice-presidente da Seccional Rio de Janeiro da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB),o prefeito prometeu fazer um estudo sobre o tema.

“O prefeito disse que vai fazer um estudo técnico do caso para ver a viabilidade do pedido dos profissionais. Nesta quinta-feira (8), temos uma reunião com secretário de Transportes e na outra semana devemos levar o projeto pronto para que o prefeito nos ajude”, completou.

Braga ainda fez uma avaliação positiva desta reunião com o prefeito do Rio de Janeiro.

“Todas as vezes que solicitado, o prefeito tem nos atendido. O prefeito realmente tem feito de tudo para ajudar a categoria, e isso é nítido. Ele coloca o táxi para trabalhar e não deixa os clandestinos trabalharem de forma ilegal. Ele tem sido muito parceiro”, finalizou Braga, afirmando que 22 mil autonomias seriam suficientes para amenizar o problema.

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"