Servidores-Publicos-de-Hortolandia-SP-protestam-em-passeata-contra-baixos-salarios-2

Servidores Públicos de Hortolândia (SP) protestam em passeata contra baixos salários

Trabalhadores estão insatisfeitos com a indisponibilidade da prefeitura para negociação de reajuste e benefícios

 

Há três dias em greve, mais de mil servidores públicos de Hortolândia, município do interior de São Paulo, promoveram nesta terça-feira (31) passeata pelo centro da cidade por melhores condições de trabalho. A mobilização é apoiada pela CSB e conta com a participação da diretoria da seccional paulista.

“Em caminhada, saímos do sindicato na rua Antônio Bernardes, onde tivemos nosso café da manhã coletivo, e fomos até a prefeitura, fizemos lá um manifesto, depois seguimos em direção à rua principal Luiz Camilo de Camargo e depois finalizamos em frente à prefeitura”, contou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Hortolândia (STSPMH), Milton Vianna.

Como explicou Vianna, os trabalhadores estão pedindo 5% de ganho real e benefícios. “Só temos a cesta básica e o vale-transporte que são pagos. Não é nada dado 100% para o servidor. Estamos pedindo plano dentário gratuito para os servidores, custo zero da cesta básica até que se troque por um cartão de alimentação, vale-refeição e mudança de data-base”, informou

Na avaliação do dirigente, os servidores estão engajados na paralisação. “A greve é permanente, é parar local de trabalho. Tivemos 80% dos postos fechados ou com funcionamento parcial e 70% das escolas fechadas ou com funcionamento parcial”, quantificou.

A greve

A paralisação foi motivada pela atitude do prefeito de Hortolândia, que, mesmo com a recusa dos servidores, insistiu no índice de 1,56% de reajuste salarial, enviou a decisão à Câmara e não abriu mais diálogo com a representação da categoria.

 A greve continua até a prefeitura abrir espaço para negociação junto ao sindicato. Diariamente, a entidade irá se reunir em assembleia para avaliar e deliberar sobre o próximo dia de paralisação. Nesta quarta (01), a programação será a mesma.

Conheça as reivindicações dos servidores:

– Reposição das perdas inflacionárias do período entre abril /2017 e abril de 201;

– Ganho real de 5%;

– Plano dental com custo zero;

– Custo zero das cestas básicas e melhoria nos produtos;

– Fornecimento de 25 unidades de tíquete-refeição mensais no valor de R$ 20 a unidade;

– Mudança da data-base para março.

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra