carteira-verde-e-amarela

Senadores resistem e MP da carteira verde e amarela deve caducar

Partidos podem formar maioria para enterrar a proposta

O presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), deve acatar uma questão de ordem do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição na Casa, e suspender a análise da MP do contrato verde e amarelo.

Com isso, a medida deve caducar, já que seu prazo de validade termina no dia 20.

O pedido foi endossado também pelo PDT, pelo PSD, pelo Cidadania e pelo PP. O MDB também apoiou, num indicativo de que o senadores não vão votar a questão nesta sexta (17).

O argumento é que o Senado se reuniu para discutir questões sobre a pandemia do coronavírus. E a MP nada teria ver com o assunto.

A proposta gerou polêmica pois reduzia direitos trabalhistas sob o pretexto de incentivar o primeiro emprego.

Ela previa um contrato com duração de dois anos com menores encargos trabalhistas e previdenciários patronais para, em tese, estimular a abertura de novas vagas para o primeiro emprego de jovens de 18 a 29 anos de idade.

O plano incluiria trabalhadores que recebessem um salário mínimo e meio, ou seja, R$ 1.567,50 em 2020.

Poderiam ser contratadas ainda pessoas com mais de 55 anos e desempregadas há mais de 12 meses.

As regras seriam aplicáveis também para o trabalho rural.​

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra