Com 70% de defasagem salarial, professores de Carpina (PE) fazem protesto por reajuste

O Sindicato dos Professores Municipais de Carpina e Região (Sindprofm) realizou uma passeata pelo centro da cidade pernambucana para cobrar reajuste salarial e melhores condições de trabalho nas salas de aula. O ato saiu da sede do sindicato e teve a sede da Prefeitura como ponto final.

A categoria denuncia que grande parte dos professores acumula quase 70% de perdas inflacionárias e que desde 2017 eles recebem salários abaixo do piso nacional dos professores.

De acordo com a presidente do sindicato, Mercês Silveira, desde 2018 os professores não têm reajuste salarial. Ela contou que a entidade acionou a prefeitura judicialmente todos esses anos, mas os processos ainda não foram concluídos devido aos recursos apresentados pela administração municipal.

Leia também: Governo confirma reajuste zero a servidores federais em 2024 e propõe mesas por categoria

Por isso, nenhum reajuste foi pago, apesar de o Sindprofm ter obtido sentenças faráveis em primeira instância referentes aos reajustes de 2018, 2019 e 2020.

Este ano, o prefeito de Carpina, Manuel Botafogo (PMN) apresentou um projeto de lei concedendo apenas o reajuste pela inflação de 2023, sem qualquer negociação prévia com os professores.

“Ninguém é maluco, nós sabemos que não tem como de uma vez só ter um reajuste de 70% e repor todas as perdas, o que nós pedimos é que o prefeito sente para conversar e negocie para chegarmos num acordo razoável, e não apresente um projeto com o mínimo sem falar com ninguém”, disse Mercês em entrevista ao portal Voz de Pernambuco.

Ela acrescentou que a defasagem salarial e condições precárias de trabalho têm imposto não apenas dificuldades financeiras aos professores, como tem causado doenças físicas e emocionais num grande número de trabalhadores.

Mercês citou um exemplo recente de uma visita que o sindicato fez a uma das escolas municipais. Segundo ela, a sala de aula não tinha infraestrutura básica para proteger professores e alunos do calor, com apenas uma cobertura metálica que aquece com o sol e deixa o ambiente com temperatura insuportável.

Segundo as normas trabalhistas, o empregador – neste caso, a Prefeitura – é responsável por garantir um ambiente seguro e com temperatura adequada para o trabalhador exercer suas funções.

Confira a entrevista completa com Mercês Silveira durante o protesto:

A presidente do Sindprofm afirmou que o sindicato seguirá realizando manifestações até ser recebido pelo prefeito.

O prefeito, por sua vez, fez um vídeo rechaçando a manifestação e insinuou que o protesto teve motivação política por 2024 ser ano eleitoral.

“Tinha placa lá escrito ‘Fora, Botafogo’, mas se dependesse deles eu nunca tinha entrado aqui, porque nunca votaram em mim. Eu fui eleito quatro vezes e não foi por vocês [professores municipais], vocês nunca fizeram parte do meu grupo político. Todo ano que tem eleição vocês preparam alguma coisinha, mas esse grupo aí [na manifestação] não elege nem presidente de associação de bairro”, disse.

Veja o pronunciamento do prefeito de Carpina:

Compartilhe:

Leia mais
greve por redução de jornada
Três projetos sobre redução da jornada tramitam no Senado; pauta é histórica no sindicalismo
livro mpt conalis direito coletivo do trabalho
MPT abre seleção de artigos para livro sobre direito coletivo do trabalho; veja regras
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT