Policiais do Rio denunciam prisões arbitrárias de grevistas; Movimento segue unido

De acordo com o SINDPOL-RJ (Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro), entidade filiada à CSP, o governo do está promovendo prisões ilegais e arbitrárias contra os líderes do movimento que luta por melhores condições de trabalho e salários. (assista o vídeo da assembleia de greve)

“Temos informações que mais de 500 policiais militares e bombeiros foram presos hoje no Rio de Janeiro. Nosso diretor jurídico, Francisco Chao, pediu o apoio da população na entrevista coletiva: ‘Não queremos greve, não queremos esse desgaste, mas está na hora de discutir as causas e não apenas as consequências. Segurança boa e barata não existe’”, afirma o boletim da greve publicado no site do sindicato.

De acordo com o sindicato, “somente em Barra do Piraí constam que 200 policiais militares, que recusaram a sair do batalhão alegando que as viaturas estavam sem documentação, foram presos ilegalmente”.

O SINDPOL RJ deixa registrado que os abusos e prisões feitas pelo Governo do Estado colocam em risco a democracia e o estado de direito. Observadores internacionais foram contatados e estão chegando ao Brasil. O movimento até agora se mostra pacífico e ordeiro, não dando motivos para atos autoritários.

POLÍCIA CIVIL DO RIO DE JANEIRO POSSUI UM DOS PIORES SALÁRIOS DO BRASIL!

A última tabela com os salários nacionais das polícias civis divulgada pela Cobrapol (Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis) apresenta o Estado do  Rio de Janeiro com o salário mais baixo do país.

Segundo a Confederação o cálculo é feito sem algumas gratificações que não podem ser consideradas no total porque são créditos temporários.

A divulgação foi feita em abril de 2011 e a PCERJ recebeu aumento após o mês de referência, porém, segundo alguns cálculos atuais e ainda não confirmados, a Polícia Civil do Rio de Janeiro passou para penúltimo lugar.

O Estado do Rio de Janeiro apresenta inúmeras singularidades que exigem dos profissionais da Polícia Civil qualificação profissional elevada, formação acadêmica de nível superior, pós-graduação, curso de idiomas e reiterados cursos de treinamento operacional.

O nível intelectual e de formação dos profissionais da instituição fazem da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro uma das melhores senão a melhor polícia do país.

Não obstante, esses profissionais continuam a receber um salário vergonhoso.

Os policiais civis do Estado do Rio de Janeiro recebem um dos piores salários do Brasil!

Destaca-se, outrossim, que a política de segurança do Estado promove um gigantesco ABISMO SALARIAL entre os Agentes de Polícia e os Delegados.

Os Delegados do Estado do Rio de Janeiro recebem um dos mais altos salários do país.

Esse é o mesmo Estado que ostenta ocupar a segunda posição em arrecadação pública, só ficando atrás de São Paulo.

Esse é o mesmo Estado que sediará competições esportivas de nível internacional como a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas.

Fonte: SINDPOL RJ

Compartilhe:

Leia mais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"