nota-repudio-racistas-sc

Nota de repúdio aos crimes racistas praticados em SC

A CSB, bem como seu presidente, Antonio Neto, condenam os atos e se solidarizam na luta por igualdade e respeito

O ano é 2017. Ainda assim, na última segunda-feira, 25, moradores de Blumenau, em Santa Catarina, presenciaram um retrocesso estarrecedor. Cartazes espalhados pelas ruas da cidade traziam a figura de um membro do movimento neonazista Ku Klux Klan, cujos primeiros atos violentos contra líderes afro-americanos datam de 1860.

Exposta em postes e residências, a frase “Negro, comunista, antifa e macumbeiro. Estamos de olho em você” tinha como alvo o ativista e advogado Marco Antônio André, cuja militância na área jurídica é voltada para as questões sociais.

Atos racistas, bárbaros e covardes como este evidenciam uma derrocada alarmante, deixando para trás séculos de batalhas e conquistas. Enquanto o mundo observa atônito crises de fundo político e econômico, cresce o ceticismo nas instituições e nos representantes do povo. Sob essa perspectiva distorcida, é inadmissível que movimentos extremistas ganhem força, acentuando a perseguição às minorias e promovendo a violência.

Diante dos atos marginais praticados contra Marco, que incluem crimes de racismo, intolerância religiosa, dano ao patrimônio e ameaça, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) reafirma seus princípios de luta, igualdade e justiça, e repudia não apenas o caso ocorrido em Blumenau, mas toda e qualquer ação cruel, supressora e intimidadora, que fira e macule os direitos humanos.

Baseados na construção de um Brasil igualitário e justo para todos, a CSB, bem como seu presidente, Antonio Neto, se solidarizam ao companheiro Marco Antônio André. Não apenas por sua militância e ativismo, mas fundamentalmente como cidadão e ser humano.

É impreterível que o caso seja devidamente investigado e seus autores punidos. A conscientização e o respeito a todas as pessoas, independentemente de cor, religião, gênero e etnia é crucial e deve ser pregada incansavelmente.

Antonio Neto

Central dos Sindicatos Brasileiros

Compartilhe:

Leia mais
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende fortalecimento dos sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas (RS) começam a negociar acordos em novo cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra
carteira vazia contas a pagar salário mínimo
Salário mínimo no BR é menos da metade do valor necessário para garantir vida digna
reajuste salarial TI Paraná
Trabalhadores de TI do Paraná terão 5% de aumento salarial; veja pisos de cada função
assembleia feserp mg
Feserp-MG convoca sindicatos para assembleia de reformulação do estatuto
instrutor de yoga entra na cbo
Ufólogo, instrutor de yoga e outras 17 ocupações são incluídas na CBO