Nota de Repudio – Fórum Sindical de Mato Grosso se posiciona contra Paulo Guedes

Após as declarações do Ministro da Economia, Paulo Guedes, que comparou funcionários públicos a parasitas, o Fórum Sindical da Barra Funda emitiu uma nota de repúdio, denunciando as incoerências da fala do banqueiro.

Confira abaixo o texto na íntegra:

O Ministro da Economia Paulo Guedes, em um “talk show” para agentes do mercado, ousou se referir a todos os servidores públicos do Brasil, como “parasitas”. Na tentativa de desconstruir a imagem dos servidores públicos, usou mentiras e números inexistentes para justificar que os parasitas estariam “matando o hospedeiro”. Um parasita precisa ser exterminado, é o que ficou claro no discurso reacionário do ministro de Bolsonaro.

Há que se lembrar que o Brasil tem menos servidores “per capta” do que a maioria dos países desenvolvidos do mundo, conforme demonstra pesquisa da OCDE. Lembrar que servidores são trabalhadores como os da iniciativa privada, e assim como uma empresa não sobrevive sem seus funcionários, o serviço público não sobrevive sem médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, Policiais, Fiscais do meio ambiente, do INDEA, Professores de Universidades e do ensino médio, Servidores que cuidem da contabilidade e orçamento público, entre outros. Ou seja, servidor não é gasto, mas investimento no melhor atendimento à sociedade.

É preciso explicar a sociedade que o Brasil gasta quase a metade de seu orçamento para pagar juros e amortização da dívida pública, nunca auditada, aos insaciáveis bancos internacionais e rentistas. Esses criaram uma teia de leis que resguardam a cobrança de juros extorsivos, de agiota, dos cofres Brasileiros. Esses sim, os rentistas, aos quais o Sr Guedes faz parte, são os verdadeiros parasitas do povo brasileiro, pois se gasta com esses anualmente TRILHÕES, que faltam em todas as outras áreas.

Parasitas são políticos que ficam por quase 30 anos no parlamento e não aprovam sequer uma lei, não participam de nenhuma comissão importante e não aprendem nada sobre o estado Brasileiro nessa estadia de 03 décadas nos apartamentos funcionais, usando auxílio moradia para “comer gente”.

Parasitas são esses políticos, que colocam a família toda na política e os parentes nos gabinetes e ainda pedem o retorno de metade dos salários, na famosa e ilegal prática da “rachadinha”.

Parasitas foram os governos ditatoriais, como o Chileno de Pinochet, a quem serviu o Sr Guedes, regime que em 17 anos matou, torturou, estuprou e desapareceu com milhares de pessoas, sem direito a qualquer julgamento, impondo 30 anos depois, uma miséria absoluta a grande maioria da população daquele país, que hoje vai as ruas para reagir ao que os parasitas do passado deixaram de “legado”.

Respeito e valorização dos servidores de carreira é fundamental para manter os serviços públicos em funcionamento, ainda que precário, não por culpa dos servidores, mas por conta desses políticos parasitas que se servem do estado para fazer negócios e não para buscar atingir o bem-estar social para nosso povo.

Repudiamos com toda nossa força essa fala e as políticas públicas desse governo, que intentam o desmonte do serviço público Brasileiro, tirando nossa capacidade de servir à sociedade com dignidade e presteza. Não ficaremos calados, enquanto houver democracia e mesmo sem ela, nos insurgiremos contra quaisquer governos autoritários e suas políticas nefastas.

Ass: FÓRUM SINDICAL DE MATO GROSSO

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)