Ministro Lewandowski defende a legalidade em sessão virtual do STF

Supremo começou a julgar na tarde desta quinta-feira (16) a ADI 6363 que questiona a constitucionalidade da MP936/20

O Supremo Tribunal Federal se reuniu em sessão virtual na tarde desta quinta-feira (16) para julgar a Ação Direta de Inconstitucionalidade apresentada pela Rede Sustentabilidade que questiona as flagrantes agressões constitucionais da Medida Provisória 936.

“É preciso exercitar a prudência, mesmo em situação de calamidade pública, com direitos fundamentais, com cláusulas pétreas de nossa constituição, garantir que nossos direitos constitucionais sejam preservado. Acordos individuais trabalhistas são vistos com absoluta desconfiança. O nosso direito constituicional ele já estabeleceu regras sobre como crises deve ser enfrentadas. Essas regras estabelecem claramente que repousa sobre responsabilidade das entidades sindicais a negociação desses acordos e convenções coletivas. Justamente para gerir situações excepcionais e permitir, eu uma situação extrema, uma eventual redução de salários. Acordos individuais permitem que o trabalhador renunciem direitos sem exercitar o consentimento válido.”, reiterou o Dr. Mauro de Azevedo Menezes, Advogado da Rede.

As Centrais Sindicais (CSB, CUT, Força Sindical, UGT, CTB e Nova Central) também participam da ação como _*amici curiae*_ – ou amiga da corte. A ação questiona a MP do governo que permite os acordos individuais para redução de jornada e trabalho ou suspensão de contratos, durante a calamidade pública declarada devido à pandemia do novo coronavírus, sem a participação dos sindicatos.

O primeiro voto foi do ministro relator Ricardo Lewandowski que dedicou a primeira parte de seu voto para reforçar que as normativas constitucionais são uma garantia fundamental e inviolável mesmo em momentos de crise como a do COVID-19

“Não tem sentido de excluirmos neste momento importante, de crise que precisamos superar e que prenuncia graves desafios no futuro do País, não é possível prescindir a participação dos sindicatos dos trabalhadores”, afirmou o ministro ao ressaltar a importância do movimento sindical.

“Por que aqui vamos construir uma solução tupiniquim, que pode se traduzir em prejuízos aos trabalhadores?”, questionou o relator.

Segundo Lewandowski, a previsão na Medida Provisória do governo de o empregador comunicar o sindicato da existência de uma negociação individual não garante o pacto constitucional. O Ministro defendeu a participação efetiva e deliberativa dos sindicatos no acordo.

“Trata-se de mais uma falácia sem qualquer resistência”, disse o Ministro Lewandowski ao criticar os argumentos reacionários do Governo Bolsonaro de que a medida não tratava em redutibilidade salarial.

O Ministro Lewandowski reconheceu que é preciso construir um caminho para conciliar direitos dos trabalhadores e a saúde das empresas, mas sem ferir a constituição.

O Presidente da CSB, Antonio Neto elogiou o voto do Ministro Lewandowski. Para Neto o voto do Eminente relator é pela legalidade e constitucionalidade.

“O Ministro deixou claro que em momentos como o que estamos passando é que precisamos reafirmar os preceitos constitucionais e é isso que a ADI 6363 representa, a luta contra o vale-tudo”, comemorou Neto.

A sessão foi encerrada por motivos técnicos e será retomada em nova data.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)