3a207983-f827-4730-b015-ba0802da0f0f

“Mais uma injustiça contra os servidores”, diz sindicalista sobre congelamento

Antônio Wagner critica proposta que suspende reajustes salariais

O secretário-geral do Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (Sinpaig-MT), Antônio Wagner, afirmou em entrevista ao Muvuca Popular, que a proposta de congelamento de salário dos servidores públicos municipais, estaduais e federais, aprovada pelo Congresso Nacional no último sábado (2), é mais uma injustiça contra a classe.

Segundo o sindicalista, a medida é mais um retrocesso para o país, onde os funcionários públicos estão sendo afetados há tempos. “Os servidores amargam esses prejuízos em qualquer espécie de “crise”, seja uma crise real como essa, ou seja nas crises artificiais, criadas a partir de premissas macroeconômicas, que são aplicadas pelos governos, em especial o estadual”, relatou.

A justificativa dos governantes para instituir a medida, que proíbe reajustes salariais, foi a perda na arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e ISS (Imposto sobre Serviços), que os estados estão sofrendo devido à pandemia do novo coronavírus.

No entanto, conforme Wagner, os servidores não exigem aumentos salariais, mas sim reposição de perdas inflacionárias e, sobretudo, progressões de classe, para os funcionários que se dedicam arcando com cursos para se atualizarem profissionalmente, sendo eles especializações, mestrados ou doutorados.

Além disso, o secretário ressalta que, mesmo diante a crise, os únicos a serem afetados devem ser os trabalhadores, pois a política bilionária de incentivos fiscais segue estável e a todo vapor.

“Os bilionários do agro continuam lucrando em dólar em suas exportações, ganhando ainda mais com a crise, enquanto toda classe trabalhadora, seja pública ou privada, padece em perdas, seja com a reforma trabalhista ou a última reforma da previdência”, concluiu.

Fonte: Muvuca Popular

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra