IMGP8923-e1361965918667

Início da ação da CSB em Brasília é marcado por importantes encontros

Em uma das reuniões, os dirigentes da Central foram recebidos pelo senador Valdir Raupp

O primeiro dia da ação da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) foi marcado por importantes encontros com parlamentares. Às 11h30 do dia 26 de fevereiro, os representantes da CSB, liderados pelo presidente da entidade, Antonio Neto, se reuniram com o senador e presidente do PMDB Valdir Raupp para apresentar ao parlamentar a pauta trabalhista defendida pela Central.

Antonio Neto apresentou a comitiva da CSB, composta por dirigentes de vários sindicatos filiados à entidade, e reforçou ao senador o crescimento da Central em quase um ano de existência. “Essa é uma central com força grande. Trouxemos um documento com a relação de toda a direção nacional e todos os dirigentes sindicais que fazem parte dela, seus mais de 400 sindicatos e 23 federações filiados”, expôs o presidente da CSB.

Neto articulou ainda os objetivos da Central nos três dias de atuação no Congresso Nacional. “Queremos avisar à Casa, aos deputados, senadores e demais lideranças que chegamos para defender a classe trabalhadora. Nós temos uma pauta no Congresso: as 40 horas de trabalho semanais, a regulamentação da Convenção 151 da OIT, que é a convenção dos servidores públicos. Temos vários assuntos que estão tramitando na Casa e nós precisamos muito do PMDB, para que o partido se aproxime ainda mais dos movimentos sociais, com os trabalhadores, com a juventude, com a universidade”, explicou.

O senador Valdir Raupp colocou o PMDB à disposição da CSB e dos sindicatos. Destacou também a força do partido na Câmara e no Senado, fator importante para debater e apoiar a pauta trabalhista, bandeira de luta da CSB nessa ação na capital federal.

“Eu quero me colocar à disposição da CSB. Quero fazer um convite. Nós respeitamos todas as filiações, as correntes partidárias, as criações de novos partidos. Nosso líder é o Eunício Oliveira, que hoje comanda o PMDB no Senado. Aqui na Câmara é o Eduardo Cunha, do Rio de Janeiro. Com os líderes, você pode agilizar os projetos para as categorias. E o PMDB ficará como suporte para ajudar nos trabalhos necessários, complementou Valdir Raupp.

VEJA A GALERIA DE FOTOS DA REUNIÃO COM VALDIR RAUPP

Articulação para a defesa dos administradores

Durante a tarde do dia 26, dirigentes da CSB e de sindicatos e federações dos administradores do Maranhão participaram de duas audiências com os deputados Weverton Rocha (PDT/MA) e Simplício Araújo (PPS/MA) para pedir aos parlamentares apoio às bandeiras de luta da categoria e apresentar aos deputados a evolução da Central.

João Alberto Fernandes, vice-presidente da CSB, Pierre Januário, presidente do Sindicatos dos Administradores do Maranhão, e Clóvis Matoso, presidente da Federação Brasileira dos Administradores, pediram o apoio do deputado na articulação política para defender os interesses dos administradores tanto no âmbito federal como no estado do Maranhão.

Pierre Januário expôs as propostas da categoria. “Precisamos defender o piso salarial do administrador no Maranhão. O arquiteto tem, o advogado tem, o assistente social tem, o médico tem, o economista tem, e nós não temos. No âmbito nacional tem um projeto de lei que também trata do piso salarial da categoria no Brasil e está engavetado. Temos uma tarefa de desengavetar esse projeto de lei e fazer essa articulação para voltar essa discussão”, argumentou o dirigente.

Ele também abordou outra discussão: a equiparação salarial dos administradores com outras categorias no âmbito federal. “Já tem um projeto de lei de equiparação salarial dos engenheiros, dos arquitetos, economistas. Faltou ou esqueceram a articulação para incluir os administradores”, completou.

Weverton Rocha se mostrou atento e solícito às reivindicações. “Eu vou pedir para a nossa assessoria técnica da bancada fazer um levantamento, um estudo de como anda a situação aqui. O que nós temos tramitando, de concreto, hoje, trata da valorização do profissional de administração”, explicou o deputado.

Simplício Araújo também se manifestou positivamente às reivindicações da categoria.”Conte com a gente. Encaminhe a mim todos os interesses da classe trabalhadora. O que a gente puder falar em nome da categoria e reverberar qualquer assunto importante para vocês, estaremos à disposição.”

Últimas reuniões do dia

Antonio Neto se reuniu com o ministro do Trabalho e Emprego, Brizola Neto, para discutir a alteração das regras de concessão de registro sindical. Em breve a CSB divulgará reportagem aprofundada sobre o encontro.

Fechando o produtivo primeiro dia da ação da CSB, Neto e os dirigentes da entidade se encontraram com o senador Gim Argello, líder do PRN no Senado. O presidente da CSB expôs as bandeiras da Central ao parlamentar, que reagiu positivamente aos ideais propostos. “As portas do gabinete estão sempre abertas, conte com o nosso apoio”, finalizou.

O segundo dia da ação da CSB em Brasília, que ocorrerá em 27 de fevereiro, será pautado por novas reuniões com parlamentares e ofensivas junto às autoridades no Congresso Nacional.

VEJA A GALERIA DE FOTOS DA REUNIÃO DOS ADMINISTRADORES COM PARLAMENTARES EM BRASÍLIA

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra