Greve na Cobra Tecnologia pode afetar o funcionamento dos caixas eletrônicos no Brasil

Empresa é responsável pela assistência técnica de mais de 20 mil terminais em todo o País, além de administrar sistemas como portas giratórias e alarmes em milhares de agências do Banco do Brasil

A greve na Cobra Tecnologia chega ao terceiro dia com impactos econômicos importantes em todo o País. Presente em todo o território nacional com cerca de 4 mil funcionários, a BBTS é parceira do Banco do Brasil em Serviços de Processos de Negócios (BPO) e Serviços de Tecnologia da Informação (ITO).

Além de ser responsável pela assistência técnica de cerca de 23 mil terminais de autoatendimento (sendo 20 mil localizados em agências e outros 3 mil externos, em locais como aeroportos, fórum, shoppings), a BBTS tem como função a prestação de serviços de monitoramento, segurança eletrônica, apoio logístico a serviços bancários, gerenciamento de documentos, impressão, gestão de recursos de telecomunicações, entre outros. Nas agências, os sistemas de porta giratória, alarme, impressão e dos computadores internos são todos geridos pela Cobra.

Paralisação nacional

No estado de São Paulo, 90% dos trabalhadores aderiram à greve. Apenas 10% dos técnicos continuam trabalhando. Nas unidades localizadas no litoral norte e nos estados do Mato Grosso e Paraná, a paralisação é de 100%.

A tendência é que a falta de profissionais para atender às necessidades técnicas gere fila dentro das agências e aumento no tempo de atendimento. Com uma política de incentivo à digitalização que leva os clientes para a internet ou para os caixas eletrônicos, a falta de serviços como esse criará uma demanda maior nos atendimentos internos das agências. Outra situação que causa prejuízo é que, com os terminais fora de operação, não há como fazer o abastecimento dessas unidades, inviabilizando saques e depósitos.

Em São Paulo, fortalecidos pelo apoio da FEITTINF em parceria com o Sindpd, o movimento continua forte. “Os trabalhadores estão firmes com a ideia de paralisar as atividades. Sabemos que a greve teve impactos importantes na empresa. As máquinas estão paradas, serviços estão por fazer. Técnicos da empresa e gerentes de banco já demonstraram que houve um impacto econômico na BBTS”, analisou Wildston Xavier de Mesquita, membro da OLT da Cobra Tecnologia.

Diante da mobilização e da pressão realizada pelo movimento grevista, as expectativas são de que a empresa apresente uma melhora na proposta de reajuste salarial. A mesa de negociação acontece nesta quinta-feira, 24, em Brasília.
Fonte: Sindpd

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)