Central dos Sindicatos Brasileiros

Funcionários da Enfil paralisam atividades para cobrar explicações em torno da demissão de 22 funcionários

Funcionários da Enfil paralisam atividades para cobrar explicações em torno da demissão de 22 funcionários

Na manhã da última quinta-feira, 10, os trabalhadores na Estação de Tratamento de Água (ETA) São Gonçalo, contratados pela Enfil Controle Ambiental, paralisaram as suas atividades. A greve teve início após 22 funcionários receberem aviso prévio de suas demissões, sem maiores explicações.

Já é a terceira vez que a as obras para a construção da ETA sofrem com paralizações: ao longo de 2019 o problema ocorreu por duas vezes, ambas motivadas pelo atraso de salários.  O técnico em segurança do trabalho do Sindicato dos Trabalhadores da Industria e Mobiliário de Pelotas (STICM), Carlos Machado deu detalhes sobre os antecedentes. De acordo com Machado os problemas começaram, principalmente, após o acidente que levou o funcionário Everton Luís Mesquita da Silva a óbito. “Desde então, alguns trabalhadores vieram nos procurar devido a problemas relacionados a falta de pagamento”.

Além da demissão injustificada dos 22 funcionários e dos atrasos do pagamento, há também a questão da multa rescisória, que não foi paga.

A Enfil é uma empresa terceirizada, contratada pelo Sanep, instituição responsável pelo tratamento da água do município de Pelotas. De acordo com Alexandre Garcia, diretor-presidente do órgão, a empresa garantiu que daria continuidade a construção, mas diante do aprofundamento da crise com os funcionários e do atraso da obra, já existe a possibilidade de rompimento de contrato.

Be Sociable, Share!