Fessergs irá recorrer de decisão que autoriza desconto de aposentados

Decisão do ministro Dias Toffoli autoriza governo do Estado a cobrar alíquota previdenciária de aposentados que ganham até o teto do INSS

A Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Fessergs) vai levar ao pleno do Supremo Tribunal Federal a discussão sobre a reforma da Previdência no Estado. Nessa terça-feira (21), o ministro Dias Toffoli atendeu ao pedido do governo do Estado e anulou as liminares que suspendiam a cobrança das alíquotas para aposentados do serviço público. A medida beneficiava aqueles com rendimentos mensais de R$ 1.045 a R$ 6.101, o intervalo entre o salário mínimo e o teto do INSS. Com a decisão do presidente do STF, o governo volta a embolsar de 9% a 14,5% do salário do servidor inativo, de acordo com a progressão do vencimento.

Para o presidente da Fessergs, Sérgio Arnoud, o impacto é maior uma vez que os servidores públicos não têm reposição inflacionária há cinco anos. “Os servidores aposentados e pensionistas passarão a ser descontados dos seus já minguados contracheques”, lamentou. “A Fessergs vai recorrer. Porém, neste meio tempo, entre a ida ao plenário, vão acontecer os descontos”, observou o líder sindical.

Críticas ao plano de distanciamento controlado

O presidente da Fessergs também criticou o novo plano de combate ao coronavírus anunciado pelo Palácio Piratini. A partir de maio, as atividades sociais e econômicas poderão voltar a ocorrer. No entanto, a situação irá variar de acordo com o nível de transmissão e a capacidade do sistema de saúde no Estado.

Para Sérgio Arnoud, o governador Eduardo Leite só atendeu às demandas dos empresários. “Essa saída controlada proposta pelo governador depende de uma conversa e de um entendimento tanto com os servidores públicos quanto com os trabalhadores, que são os principais alvos do coronavírus aqui no Estado, especialmente os servidores públicos da área da saúde”, protestou. “Lamentavelmente, o governo tem ouvido mais o setor empresarial”, completou o dirigente.

O governador Eduardo Leite propôs diálogo a alguns setores da economia gaúcha. O Executivo disse que irá receber ideias e sugestões  sobre o chamado plano de distanciamento sustentável.

Fonte: Guaiba

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)