eleicao-de-diretor-do-sebrae-sp-e-adiada

Disputa entre PSD e PSDB pelo Sebrae-SP adia escolha de novo diretor

As diversas forças políticas que apoiaram a candidatura de Tarcísio de Freitas para o governo de São Paulo continuam lutando por espaço na futura administração, em meio à primeira transição de governo em 27 anos. O mais recente palco do embate é a eleição da nova diretoria do Sebrae-SP, disputada por aliados de Gilberto Kassab (PSD) e pelo atual diretor-superintendente, Marco Vinholi (PSDB), que pretende continuar no cargo.

Com orçamento de cerca de R$ 675 milhões, o Sebrae é um das entidades mais cobiçadas para se assumir o controle.

A votação que definiria o próximo superintendente seria nesta terça-feira (29), mas foi cancelada por falta de quórum e não tem nova data definida. O adiamento foi considerado uma vitória da ala do PSD, já que não compareceram justamente os conselheiros mais próximo de Afif Domingues, braço direito de Kassab e coordenador da equipe de transição de Tarcísio.

A intenção era ganhar tempo para conseguir ao menos 7 do total de 13 votos para Guilherme Campos (PSD), aliados de Afif e o único indicado pela Fecomércio até sexta-feira (25). No entanto, o nome de Campos foi retirado no último instante e substituído pelo de Vinholi, presidente do diretório paulista do PSDB.

Para Afif, que já presidiu o Sebrae Nacional, Vinholi promove uma partidarização na unidade paulista desde que assumiu seu comando no final de junho deste ano, após pressão do governador Rodrigo Garcia. Ao menos quatro tucanos foram colocados em altos cargos na atual administração, além de outros que ocuparam postos mais baixos.

Oficialmente, o governador não tem poder de nomear o superintendente do Sebrae, pois possui apenas dois assentos no conselho que define a direção, mas é capaz de influenciar representantes de entidades como Fiesp, Fecomércio, Sindibancos e a Associção Comercial de São Paulo.

Tarcísio, no entanto, teria dito que não quer se envolver na disputa e prefere deixar que os conselheiros tomem suas decisões conforme acharem melhor, de acordo com apuração da Folha de S.Paulo. Porém, a neutralidade do governador eleito incomoda os tucanos, que esperavam apoio para continuar no comando.

Com informações de: Folha de S.Paulo

Leia também: Bolsonaristas já se distanciam de Tarcísio por causa de Kassab, diz jornal

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra