enfermagem

Dirigentes da CSB apoiam ato virtual no Dia Internacional da Enfermagem

Em entrevista exclusiva, a dirigente sindical Maria Bárbara ressaltou a importância da valorização real dos profissionais da saúde e da enfermagem

Este 12 de maio é também o Dia Internacional da Enfermagem, data que remete ao aniversário de Florence Nightingale, considerada a fundadora da enfermagem moderna.

Neste ano, tal data tem o seu significado potencializado pela pandemia de coronavírus. Sabendo disso, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), apoiará um ato virtual, em homenagem aos enfermeiros.

Para a Presidente dá Federação dos Auxiliares Técnicos de Enfermagem e Trabalhadores na Área de Saúde do Estado do RJ e Presidente da CSB-RJ, Maria Bárbara, o ato é de extrema importância para nos lembrar desses profissionais. “O ato em si sempre é importante. Faz-se ouvir a voz desse profissional que, se não fosse pela pandemia, passaria despercebido. A não ser por aqueles que precisassem do atendimento, seja do enfermeiro, do técnico de enfermagem ou do auxiliar de enfermagem”.

Valorização além dos aplausos

Maria Bárbara também ressaltou a importância de uma valorização real desses trabalhadores. Além dos aplausos,  esses profissionais merecem boa remuneração e seu direitos reconhecidos. “Esse é o grande momento de reivindicar melhores salários, equiparação salarial e equipamentos de EPIs. Ser aplaudido é bom e faz bem, mas ser de fato reconhecido com salários dignos, é outro patamar”, disse a dirigente.

Por fim, Maria Bárbara fez um desabafo sobre as constantes lutas que os diversos profissionais de enfermagem encaram desde sempre. O que ocorre não apenas em tempos de pandemias de coronavírus. “Essas guerreiras e guerreiros, na grande maioria das vezes, deixam de viver suas próprias vidas. Sacrificam-se para cuidar intensamente daqueles que precisam de cuidados. Ainda mais neste momento de pandemia do Covid 19. Estão sempre na linha de frente, passando dias e noites em claro, abrindo mão de suas famílias e, ainda assim, seguindo desvalorizados, com baixos salários, sem equipamentos de EPIs. Todavia a cada plantão estão lá apostos, abrindo mão dá sua própria vida em prol dos outros. No atual momento, devemos nos lembrar das estatísticas que confirmam: mais de 3 mil profissionais de saúde testaram positivo para o coronavírus!”, finalizou Maria Bárbara.

 

Compartilhe:

Leia mais
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende fortalecimento dos sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas (RS) começam a negociar acordos em novo cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra
carteira vazia contas a pagar salário mínimo
Salário mínimo no BR é menos da metade do valor necessário para garantir vida digna
reajuste salarial TI Paraná
Trabalhadores de TI do Paraná terão 5% de aumento salarial; veja pisos de cada função
assembleia feserp mg
Feserp-MG convoca sindicatos para assembleia de reformulação do estatuto
instrutor de yoga entra na cbo
Ufólogo, instrutor de yoga e outras 17 ocupações são incluídas na CBO