Desfiliação de Antonio Neto do PMDB repercute no Senado e na mídia

Senador Roberto Requião (PMDB-PR) leu carta do presidente da CSB em sessão do Plenário

Divulgada na manhã desta quarta-feira (4), a desfiliação do presidente da CSB, Antonio Neto, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) ganhou grande visibilidade no Senado Federal e na mídia nacional.

Durante sessão no Plenário da Casa, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) leu a carta protocolada que Neto enviou ao Presidente do PMDB, Romero Jucá. O dirigente fundamenta sua decisão, principalmente, por se declarar contrário às reformas em curso no Congresso (previdenciária e em especial a trabalhista), conduzidas pelo governo Michel Temer e apoiadas por grande parte dos parlamentares do PMDB (leia documento na íntegra).

Na carta, o presidente da CSB afirma que não há como “permanecer filiado ao Partido que, sob o comando de uma pequena cúpula, afronta o programa partidário; ignora os anseios e a vontade do povo; promove a destruição da Constituição de 1988; enxovalha a democracia duramente conquistada; desrespeita e desmoraliza os Poderes da República; rasga os direitos trabalhistas e sociais; avilta os direitos previdenciários e enterra os sonhos da construção de uma Nação mais justa e igualitária”.

Ao final da leitura, Requião disse que quer “acreditar que, num determinado momento, o PMDB vai acordar porque a Base do PMDB é semelhante à base social e não pode suportar mais esta violência absurda que é a reforma trabalhista; de uma inconsistência econômica absoluta e de uma violência contra direitos sociais jamais vista na história do País”.

O senador Paulo Paim cumprimentou Neto. “É um presidente de uma central e eu não esperava dele outra posição”, concordou. A notícia teve também importante espaço na mídia nacional. Entre os principais veículos que publicaram a desfiliação estão Folha de S.Paulo e Valor Econômico.

Corpo a corpo

Ainda no Senado, representantes da CSB estiveram na Casa para tratar de pontos negativos da reforma trabalhista, como o trabalho intermitente, autônomo e trabalho de mulheres grávidas em locais insalubres. Às 15h, eles foram recebidos pelo senador Cidinho Santos (PR/MT).

“Viemos pedir a sua sensibilidade nesse momento conflituoso em que a classe trabalhadora se sente prejudicada. Não é que nós achamos que não tem que haver reforma, mas é preciso um debate mais amplo de alguns pontos que não são convergentes”, afirmou o secretário de Formação Sindical da Entidade, Cosme Nogueira.

O senador afirmou que, ao contrário da Central, é a favor da reforma, mas que garantiu que as questões serão vetadas pelo presidente da República e modificadas por meio de Medida Provisória (MP).

Por 46 votos a favor e 19 contrários, foi aprovado ainda nesta terça o requerimento de urgência do PLC 38. Desta forma, a votação em Plenário da reforma trabalhista está prevista para o dia 11 de julho.

Os representantes da CSB permanecem mobilizados em Brasília até a próxima quinta-feira (6), com a presença do presidente Antonio Neto, do secretário-geral Alvaro Egea, Flávio Werneck, Francisco Moura, Joana Batista Lopes, Dianyeire Dias de Souza e João Alberto Araújo Fernandes, vice-presidentes, e dos secretários Cosme Nogueira (Formação Sindical), Juvenal Cim (Finanças), Itamar Kunert e Paulo Oliveira (Organização e Mobilização), Antonieta de Faria (Mulher Trabalhadora), Maria Barbara da Costa (Saúde), Alessandro Rodrigues (Comunicação), Ronildo Nogueira Palmere (Trabalhadores na Pesca), Jorge Antonio Nascimento (Servidores Públicos) e Cezar Amin Pasqualin (Profissionais Liberais).

Assista ao vídeo com o discurso do senador Roberto Requião:

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores