WhatsApp-Image-2019-06-12-at-14.37.553

CSB RS reúne filiados para definir estratégias para greve geral

 

A CSB RS reuniu entidades filiadas na tarde desta quarta-feira, 13, no auditório da Federação Sindical dos Servidores Públicos no Rio Grande do Sul (Fessergs), para fazer um balanço da articulação dos movimentos para a greve geral desta sexta-feira, 14 de junho. Nesta quinta, pela manhã, as centrais sindicais apresentaram detalhes de como será a paralisação. A greve geral deve reunir professores, bancários, estudantes, trabalhadores da saúde e funcionários públicos contra a reforma da Previdência.

O ato deve começar logo cedo, com concentração nas garagens de ônibus e na administração da Trensurb – empresa de trens que liga Porto Alegre e região metropolitana. Os ônibus metropolitanos também devem parar. Na capital, as centrais acreditam que deve haver adesão dos rodoviários. No interior, sindicatos filiados à CSB de vários municípios já definiram adesão total à greve. As entidades de servidores públicos ligadas à CSB têm adesão total.

Na reunião na Fessergs estavam presentes FEMERGS (Fed. Dos Munic. do RS), SindiGeral (Quadro Geral), Sindissama (Saúde), Sindiperícias (Peritos da Polícia Civil), Sindipe (IPERGS), Sinfers (Funcionarios de Escolas), SindiSirga (Instituto do Arroz), Amapergs (Servidores Penitenciários), Sisdaer (Servidores do DAER)

As centrais permanecem com uma barraca montada no Largo Glênio Peres, no centro da capital gaúcha, com distribuição de panfletos e coleta de adesões ao abaixo-assinado contra a reforma da Previdência. As listas de assinaturas serão centralizadas nas direções nacionais e entregues ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), depois da greve geral.

As centrais realizarão um ato, às 18 horas, na Esquina Democrática, com concentração a partir das 17 horas. Nesse ato, a CSB RS terá um caminhão de som próprio em conjunto com a CGTB, onde haverá espaço para manifestação de sindicatos e movimentos sociais contra a reforma da Previdência e contra os retrocessos do governo Bolsonaro.

Os estudantes garantiram que estarão, desde a madrugada do dia 14, lado a lado com a classe trabalhadora na greve geral. Desse ato todos saem em caminhada pelo Centro Histórico da capital, movimentando o trânsito no final da tarde. “Será um momento histórico e importante, onde a imprensa do mundo inteiro estará em Porto Alegre, pois no sábado serão abertos os jogos da Copa América de futebol. Vamos aproveitar o público e a mídia para mostrar que o povo brasileiro precisa de emprego e não de reformas que retiram direitos e deixam a população à míngua”, afirma o presidente da Seccional RS da CSB, Sérgio Arnoud.

O dirigente está em Genebra, participando da 108º Conferência da OIT, e reforçou a convocação para que todos se somem à mobilização, imprescindível para o futuro dos trabalhadores públicos e privados.

Fonte: CSB RS

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra