Crise no setor automotivo provoca 1,5 mil demissões na região de Itatiba

Queda na venda de veículos e redução na exportação prejudicam mercado brasileiro

O número de veículos encalhados nos pátios de montadoras e concessionárias aumentou 11% em março, segundo balanço da Anfavea. Em volume, o número de veículos encalhados avançou de 348,9 mil para 387,1 mil unidades em um mês. A redução da venda de veículos do mercado interno e a crise argentina, que limitou as importações de veículos produzidos do Brasil, contribuiu para que as demissões nas montadoras e em empresas  de autopeças aumentassem. Essa crise já atinge os trabalhadores metalúrgicos das cidades de Itatiba, Vinhedo, Itupeva, Louveira, Morungaba e Jarinu.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba e Região, já são mais de 1,5 mil trabalhadores demitidos nas últimas duas semanas. Para o diretor financeiro do sindicato, José Avelino Pereira (Chinelo), a situação é alarmanet. “Estamos enfrentando um momento preocupante, pois a crise deflagrada em todo o país, nas montadoras de, está atingindo fortemente a região. Ainda, não sabemos se essa crise foi gerada pela redução na venda de veículos ou se é uma pressão das empresas para que o governo reduza os imposto e alavanque as vendas novamente”, avalia.

Segundo Chinelo, o sindicato tem dialogado com as empresas na busca de alternativas para evitar demissões. “Já temos na nossa região empresas que, inclusive, abriram processo de recuperação financeira. Precisamos encontrar uma solução para essa crise. Outras estão oferecendo a seus funcionários planos de demissão voluntária. Não é o que queremos. Precisamos que o governo e as empresas encontrem soluções que não prejudiquem os trabalhadores e nem a economia nacional ”, disse o sindicalista.

 Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba e Região, Igor Tiago Pereira, se não houver uma reação imediata do governo, a crise pode paralisar um dos setores mais importantes da economia brasileira. “A produção de carros, caminhões e o setor de autopeças é uma espécie de mola propulsora da economia. Quando as finanças dos brasileiros vão bem, eles investem em carros novos, o que movimenta esse mercado. Se há retração, significa que a nossa economia não anda bem das pernas, precisa de uma reação imediata”, afirma.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)