Central dos Sindicatos Brasileiros

Servidores de Marechal Cândido Rondon (PR) aprovam os procedimentos legais para a cobrança da contribuição sindical

Servidores de Marechal Cândido Rondon (PR) aprovam os procedimentos legais para a cobrança da contribuição sindical

Tributo teve anuência de 91% dos trabalhadores presentes na assembleia

Os servidores públicos do município de Marechal Cândido Rondon (PR) aprovaram em assembleia geral, nesta quinta-feira (15), os procedimentos legais para a cobrança da contribuição sindical pelo Sinsemar. A votação aconteceu em duas chamadas que reuniram cerca de 130 profissionais, dentre os quais 91% concordaram com o desconto do tributo para o ano de 2018.

Ambos os encontros tiveram início com uma explanação da diretoria do Sindicato a respeito dos benefícios e da necessidade da contribuição ao fortalecimento das bandeiras de luta da categoria. De acordo com o presidente do Sinsemar, Fernando Aloísio Hübner, a independência financeira do movimento não é só importante para o Sindicato como instituição que possui custos, mas, principalmente, aos trabalhadores.

“É graças à contribuição de todos os servidores que a gente pode oferecer um departamento jurídico gratuito para eles, convênios com dentistas, corte de cabelo e até a realização de laudos técnicos. Na assembleia, também falamos sobre a possibilidade de arrecadação para construir uma sede com prédio próprio, que é um sonho da categoria. E fora isso, comentamos a respeito das entidades superiores, porque o nosso Sindicato abrange o município, mas em discussões nacionais, como reforma previdenciária e trabalhista, são as centrais, federações e confederações que fazem a legítima defesa dos trabalhadores em Brasília”, ressalta Hübner.

Durante os debates junto à categoria, o dirigente ainda destacou quais são os compromissos do Sindicato do Servidores Públicos de Marechal Cândido Rondon neste ano. Segundo o sindicalista, a contribuição dos cerca de 1300 profissionais representados será essencial ao processo de negociação da próxima Convenção Coletiva, já em andamento. Para 2018, o Sindicato pede 13,21% de reajuste salarial.

“O que queremos este ano é dar continuação às lutas da categoria. Agora, estamos entrando em negociação coletiva, então há um gasto com isso, publicações a serem feitas, e a necessidade de ter uma verba para a manutenção do Sindicato, garantindo a próprio funcionamento do movimento. Este ano, por exemplo, reivindicamos um reajuste do nosso vale-alimentação de R$ 285 para R$ 435 mensais”, conta o presidente.

Cada chamada da assembleia do Sinsemar teve duração de uma hora e contou com um amplo debate democrático sobre o tema antes do início da votação aberta. O processo também seguiu todos os trâmites legais como determinado pela Constituição Federal, a atual Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e o Enunciado 38 da ANAMATRA (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho).

Compartilhe!