Central dos Sindicatos Brasileiros

Servidores de Marechal Floriano (ES) aprovam procedimento para desconto da contribuição sindical

Servidores de Marechal Floriano (ES) aprovam procedimento para desconto da contribuição sindical

Os trabalhadores também aprovaram a prestação de conta de 2017 e uma mobilização no próximo dia 2 de março

Após assembleia realizada na noite desta quinta-feira (21), na Câmara Municipal da cidade de Marechal Floriano (ES), 70 km da capital do estado, os servidores municipais aprovaram, com ampla maioria, o procedimento para o desconto da contribuição sindical.

Orientações para recolhimento da contribuição sindical

A prestação de contas de 2017 da entidade e a proposta de reestruturação salarial também foram aprovadas pela maioria dos servidores presentes. Durante assembleia, os servidores votaram pela não realização de uma greve, mas aprovaram a realização de um ato no próximo dia 2 de março, em frente à prefeitura, onde irão cobrar dos administradores públicos a reestruturação dos salários dos servidores.

Segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marechal Floriano (SINDSMAF), Gelcilene Loiola,os servidores não têm reajustes há mais de 10 anos.

“Estamos há 12 anos sem reajuste, e o prefeito ainda não deu nenhuma resposta, por isso precisamos estar sempre nos movimentando. O salário está tão defasado, que a única categoria que não recebe menos que um salário mínimo é o médico, que ganha R$ 1.540. O salário-base de um gari é R$ 435, e todos os benefícios dele são calculados em cima deste valor. Por isso estamos sempre na briga”, explicou a presidente da entidade, que avaliou como positiva a assembleia.

Apesar das promessas e falta de resposta da prefeitura, Gelcilene acredita que a restruturação não acontece pelo número de funcionários comissionados, que hoje é maior do que o efetivo de servidores concursados.

“Hoje nós temos 400 no efetivo, mas estamos com uma folha de quase mil funcionários. Ele está encharcando a prefeitura e só não faz a nossa reestruturação salarial por causa disso. O movimento fica mais difícil, pois ele tem mais do dobro da folha para dominar, isso sem contar que muita gente do efetivo tem medo”, completou.

Na presidência do Sindicato desde 2015, Gelcilene informou que a entidade, fundada em 2009, conseguiu alguns avanços nestes últimos anos.

“Conseguimos um estatuto novo, um vale-refeição que foi de R$ 100 para R$ 180, que ainda é pouco, e a redução da carga horária para seis horas. O último prefeito prometeu e não fez, conseguimos a não reeleição dele”, finalizou a presidente.

Secretário dos Servidores Públicos da CSB, Jorge Antonio Nascimento representou a Central na assembleia. Para o dirigente,o apoio da CSB dá mais força ao movimento.

“Demos todo apoio, tiramos algumas dúvidas sobre a Central e mostramos como é o norteamento da CSB. Quando você fala da CSB, os servidores já entendem, já sabem que é uma central que é respeitada. Os servidores de Marechal também estão preocupados com os debates em Brasília. Estamos seguindo as orientações que nos foi passada, estamos soltando os editais, realizando as assembleias e protocolando”, falou Nascimento que também representa a Federação dos Servidores Públicos Municipais do Estado do Espírito Santo (FESPUMEES/ES).

Compartilhe!