Central dos Sindicatos Brasileiros

“Em Santa Catarina, houve um aumento de 68% nos processos de assédio moral”, diz o advogado trabalhista Clóvis Renato Costa de Farias

“Em Santa Catarina, houve um aumento de 68% nos processos de assédio moral”, diz o advogado trabalhista Clóvis Renato Costa de Farias

Para o palestrante, os sindicatos têm papel efetivo e fundamental no combate destes abusos.

Dando continuidade ao segundo dia do Congresso Estadual da CSB Santa Catarina, o advogado trabalhista Clóvis Renato Costa de Farias explanou sobre o assédio moral no trabalho. Na oportunidade, o palestrante abordou as definições, modalidades e classificação de assédio, além de mostrar suas conseqüências e formas de combate.

Segundo ele, assédio moral é mais comum do que se imagina, mas as pessoas ainda fingem que não acontece. Mesmo assim, casos de denúncia têm aumentado.

“Em Santa Catarina, os processos por assédio moral no trabalho cresceram 68%, bem acima do número nacional, que foi de 20%”, falou Farias, que acredita na força dos sindicatos para combater os abusos.

“O sindicato tem papel fundamental nesta luta e eventos como este [Congresso Estadual da CSB] faz com que a mente destes dirigentes fervilhem, faz com estes líderes inovem” disse.

De maneira lúdica e prática, o advogado usou imagens para demonstrar o que é assédio moral e destacou a importância de visualizar coletivamente o problema para ser combatido de maneira mais eficaz.

Ainda segundo o advogado, as síndromes de sobrevivente e de Burnout são as conseqüência mais freqüentes causadas por assédio moral no trabalho.

“Altas taxas de desemprego, intensificação do ritmo de trabalho, crescimento do trabalho temporário e de tempo parcial causam a síndrome dos sobreviventes, que é a angústia e medo de ser demitido. Já a competitividade no trabalho pode causa a síndrome de Burnout”, explicou Farias.

Para combater o assédio, os trabalhadores devem se certificar que a conduta é realmente um assédio moral, reunir provas e denunciar ao RH, superiores hierárquicos, sindicatos, Ministério do Trabalho e Ministério Público.

Documentos, fotos, e-mails e gravações, assim como, atestados médicos, testemunhas e licenças de trabalho podem ser usadas como provas.

Como reconhecer um assédio?

Para Freitas, existem atitudes que denotam o assédio no trabalho, entre elas: humilhações, metas inatingíveis, esvaziamento de função, isolamento, retirada de instrumentos de trabalho, ataques à vida pessoal e piadas sobre aspectos físicos.

Confira a apresentação advogado trabalhista Clóvis Renato Costa de Farias.

Veja a galeria de fotos

Assista a íntegra da palestra

Compartilhe!