WhatsApp-Image-2017-04-11-at-14.17.06

SINDIVET-PR participa de audiência pública sobre Operação Carne fraca

Entidade se reuniu com outros órgãos ligados à agricultura, pecuária e à indústria da carne e derivados do Estado

O Sindicato dos Médicos Veterinários do Paraná (SINDIVET-PR) participou na manhã desta terça-feira (11), no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná, de mais um debate envolvendo a “Operação Carne Fraca”, da Polícia Federal. Na ocasião, foram discutidos os reflexos e impactos, além de esclarecimentos técnicos sobre a operação.

Presidente do SINDIVET-PR e Secretário Nacional dos Profissionais Liberais da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Cesar Amin Pasqualin representou as entidades no encontro, que contou com a presença de deputados, representantes de órgãos públicos ligados à agricultura e pecuária, além da indústria de carnes e derivados do Paraná.

Em seu pronunciamento, Pasqualin quebrou os paradigmas e foi na contramão do que vem sendo falado ao longo deste caso.

“Estas questões precisam ser trabalhadas no dia seguinte, temos o costume de buscar culpados e não agregar nada para melhorias do processo. Nosso foco deve ser nas nossas responsabilidades pós-tragédia. Quais lições podemos tirar e o que fica para nós trabalharmos? Metralharam a mídia e nós não achamos nenhum exagero por parte deles. Falaram que foi um equívoco da Polícia Federal, mas as pessoas se apegam a isso para neutralizar o assunto.  Neste processo, quem deve de fato está sendo aliviado. Para nós, a mídia e a PF exercerem seus papéis, muito bem feitos”, explicou o dirigente que também enalteceu o denunciante.

“O auditor fiscal fez a denúncia para um órgão competente, que é a Polícia Federal (PF). Esse indivíduo não pode ser crucificado como algumas pessoas querem. Imagine só, ele procurou internamente um suporte para denúncia, mas foi perseguido e no último recurso foi na PF. A atitude dele é uma prova de honestidade e isso é fazer a lição de casa. Perante os órgãos internacionais isso soa muito bem e a prova maior disso é que está voltando a normalidade do mercado gradativamente”, falou Pasqualin.

O presidente do SINDIVET-PR ainda explicou para os participantes da audiência, quais caminhos tomar.

“Primeiro, devemos acabar com estas questões de fiscalização de degrau e trazê-las todas para um único degrau. O consumidor do município tem o mesmo direito de consumir um produto de exportação. Todos eles têm que fazer posições de fiscalização para ofertar o melhor produto para a população em geral. Para isso, não pode haver diferença da atuação das fiscalizações municipal, estadual e federal”, finalizou o dirigente, que representará as duas entidades em audiência sobre o mesmo assunto, no Senado Federal, na tarde desta quarta-feira (12).

Também participaram da audiência os deputados Guto Silva (PSD), Claudio Palozi (PSC), Luís Corti (PSC), Ademir Bier (PMDB) e Marcio Nunes (PSD); além de representantes de entidades como a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP); da Emater; da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar); da Vigilância Sanitária Estadual; da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Operação Carne Fraca

A operação foi deflagrada no último dia 17 de março pela Polícia Federal, que apura um suposto esquema de fraude na produção, fiscalização e comercialização de carnes, além de pagamentos de propina a fiscais no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

 

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra