Sindicalistas e empresários no Conselhão pedem redução de juros em carta ao Banco Central

Sindicalistas e empresários no Conselhão pedem redução de juros – Membros do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – o Conselhão – enviaram uma carta ao presidente e aos diretores do Banco Central apelando pela redução da taxa básica de juros (Selic), que está em 13,75% desde agosto do ano passado.

A carta foi assinada por 51 integrantes do Conselhão de diversas áreas da sociedade, como os presidentes de todas as centrais sindicais e sindicatos, o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Josué Gomes, a presidente do grupo Magazine Luiza, Luiza Trajano (*na foto), empresários do agronegócio, do setor imobiliário, da construção civil, da educação, de startups e outros setores da economia. (veja no fim da matéria todos os signatários)

Todos no grupo diverso concordam que a redução dos juros é essencial para o desenvolvimento econômico do país e a geração de empregos.

“É hora de baixar os juros para retomar a atividade econômica, gerar emprego e renda. É urgente uma política monetária adequada. Por conta disso, integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômica Social Sustentável, o Conselhão, representando empresários, trabalhadores e sociedade civil, somam suas vozes para manifestar sua preocupação com a necessidade de o COPOM iniciar o processo de redução da taxa de juros, sem o qual o Brasil não poderá voltar a crescer”, diz o documento.

Apesar desta e outras tantas manifestações da sociedade e do governo argumentando pela necessidade da redução dos juros, o Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu manter a Selic em 13,75% mais uma vez.

Além de assinar a carta do Conselhão, a CSB divulgou uma nota assinada pelo seu presidente, Antonio Neto, criticando a decisão do Banco Central.

“[O presidente do BC, Roberto] Campos Neto já demonstrou que seu projeto é sabotar o desenvolvimento do Brasil e jogar o Brasil na miséria e no desemprego. Nada, absolutamente nada justifica a política nefasta de juros referendada pelo Banco Central”, afirma o texto.

O economista-chefe da Fiesp, Igor Rocha, também se manifestou. Para ele, manter essa taxa de juros “pouco considera a realidade atual da economia brasileira, correndo o risco de desancorar a melhora recente da inflação”.

“O dissenso não foi a manutenção da Selic em 13,75%, mas a nota [do Copom]. Esperava-se um comunicado com algum indicativo de suavização da política monetária. Não houve”, postou a Federação em suas redes sociais.

Confira todos os 51 integrantes do Conselhão que assinaram a carta endereçada ao Banco Central:

Adalberto Souza Galvão – Sindicalista Construção Pesada

Adilson Gonçalves de Araújo – Presidente CTB

Adriana Marcolino – Socióloga DIEESE

André Passos Cordeiro – Presidente-executivo da Indústria Química (Abiquim)

Antonio Queiroz – DIAP

Antonio Neto Presidente CSB

Airton Cano – FITIQUIM CUT

Alessandro Conceição “Sorriso” Liderança Trab. Aplicativos

Aristides Veras – Presidente CONTAG

Bruno Sidona – Empresário Setor Imobiliário

Caio Magri – Instituto Ethos

Chaim Zaher – Presidente do grupo Seb

Cláudio Medeiros – Membro do Conselho de Construção Civil da Federação das Indústrias de São Paulo (FIESP) e Novonor

Clemente Ganz – Sociólogo

Deyvid Souza Bacelar Coordenador da FUP

Elbia Gannoum – Presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica e Novas Tecnologias

Edson Lopes – Diretor-geral da Flixbus no Brasil

Emerson Kapaz – CEO do Instituto Combustível Legal

Enilson Simões de Moura – Vice Presidente da UGT

Eunice Cabral – Presidente Sind. Costureiras de São Paulo

Erai Maggi Scheffer – Empresário do Agronegocio

Fernando Augusto Quintella – Diretor na Itaiquara Alimentos

Frank Rogieri – Diretor – Perfect Wood

Glauco Humai – Professor titular da USP

Heleno Gomes Araújo – Presidente da CNTE

Ingrid Barth – Presidente da Abstartups

Ivone Maria da Silva – Presidente Sind. Bancários de São Paulo

João Domingos – Presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil

Jose Ricardo Montenegro – Presidente da FIEC

Joseph Couri – Presidente do SIMPI

Josue Gomes – Presidente FIESP

Juvandia Moreira Leite – Presidente Confederação dos Bancários CUT

Lucas Kallas – Presidente do Conselho da Cedro Participações

Luiza Trajano – Magazine Luiza

Marcelo Abritta – CEO e co-fundador da Buser

Marcos Guerra – CEO da Energis8 America

Maria Auxiliadora dos Santos – Presidente Sind. Trab. Ind. Brinquedos de São Paulo

Maria Cleide Queiroz – Coordenadora Pessoas com Deficiência da CUT

Miguel Torres – Presidente da Força Sindical

Moacyr Roberto Auersvald – Presidente da Nova Central

Moisés Selergs – Presidente Sind. Metalúrgicos do ABC

Mônica Veloso – Vice Presidenta Sind. Met. De Osasco

Nilza Pereira – Presidente da Intersindical

Ricardo Patah – Presidente da UGT

 Rodrigo Navarro – Presidente da ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção)

Segio Butka – Presidente Sind. Met. De Curitiba

Sergio Luiz leite – Presidente Federação do Químicos de São Paulo

Sergio Nobre – Presidente da CUT

Venilton Tadini – Presidente-executivo da ABDIB – Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base

Vicente Abate – Presidente da ABIFER e da ABENDI

Viviane Sedola – Empresária, fundadora das startups Kickante e a Dr. Cannabis.

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)