CAPA1

Seminário da CSB lança campanha em defesa do Pré-Sal e de combate à proposta entreguista de José Serra

Central amplia luta pela soberania da Petrobrás, do patrimônio nacional e contra o capital especulativo internacional

A Central dos Sindicatos Brasileiros lançou, durante o Seminário Nacional de Formação Política, uma campanha em defesa do Pré-Sal, da Petrobrás e contra o Projeto de Lei 131/2015, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), que propõe a modificação no sistema de partilha do Pré-Sal e a diminuição da participação da Petrobrás na exploração do petróleo brasileiro.

Para a CSB, a proposta do senador tucano destrói a soberania nacional do petróleo e deixa a Petrobrás à mercê do capital especulativo privado nacional e internacional. O presidente Antonio Neto disse que a Entidade vai encampar uma luta contra a tentativa de privatização da Petrobrás. “Não concordamos com isso. Vamos colocar o movimento sindical para dizer ‘não’ a essa proposta entreguista, porque ela quer acabar com os percentuais para a educação e a reindustrialização do Brasil, e colocar o patrimônio do País nas mãos dos interesseiros”, afirmou.

O Projeto de Serra altera a Lei nº 12.351, de 22 de dezembro de 2010, que estabelece a participação mínima da Petrobrás no consórcio de exploração do Pré-Sal e a obrigatoriedade de que ela seja responsável pela “condução e execução, direta ou indireta, de todas as atividades de exploração, avaliação, desenvolvimento, produção e desativação das instalações de exploração e produção”.

Antonio Neto revelou que o atual momento nada mais é do que a repetição da história. “Já passamos por um momento político semelhante, onde os mesmos interesses se movimentaram para impedir a criação da Petrobrás pelo presidente Getúlio Vargas. Foi com a campanha “O petróleo é nosso” que Vargas despertou a sociedade e ganhou as ruas, rompendo o discurso vigente de que apenas o capital privado ou internacional poderia construir e comandar uma organização nacional economicamente forte”, criticou o presidente.

Importância do Pré-Sal

A aprovação do Plano Nacional de Educação, em 2014, e a destinação de 75% dos royalties e de 50% do fundo social do Pré-Sal para a educação – o que representa, nos próximos 35 anos, R$ 1,3 trilhão em investimentos – são a mostra de que a Petrobrás é vital para o desenvolvimento nacional.

Durante o Seminário da CSB, os palestrantes já destacavam a campanha orquestrada por grupos estrangeiros interessados em tomar posse do petróleo brasileiro, acabando com a política de nacionalização dos componentes e limitando o potencial estratégico que esta riqueza representa para o povo do Brasil.

“As mesmas aves de rapina, agora na figura de um tucano, assombram a autonomia do Brasil novamente e permanecem à espera de uma chance para tomar aquilo que o Brasil levou 60 anos para consolidar. Por isso, a CSB condena veementemente a proposta da direção da Petrobrás de entregar o patrimônio e a riqueza petrolífera brasileira nas mãos das multinacionais do petróleo”, enfatizou Antonio Neto.

Para o dirigente, a sociedade brasileira precisa estar atenta à necessidade de mobilização em defesa de um patrimônio que é dela. “Vamos lutar contra a venda, a entrega e o desmonte da Petrobrás. O petróleo é e deve continuar sendo única e exclusivamente do Brasil. Em nome daquele homem que, há 61 anos deu sua vida pelo Brasil, é imprescindível que o País lute para que a história não se repita e os brasileiros sejam obrigados a presenciar mais um assassinato de Getúlio Vargas”, reiterou o presidente da CSB.

Veja a galeria de fotos do Seminário Nacional de Formação Política da CSB

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra