Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país

O presidente Lula (PT) disse na manhã desta terça-feira (18) que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tem lado político e trabalha para prejudicar o país.

Ele também comparou-o com o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro e citou o jantar que o governador Tarcísio de Freitas (São Paulo) fez em homenagem ao presidente da autoridade monetária. Para o presidente, o ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL) tem mais influência nas decisões de Campos Neto do que ele.

A declaração foi dada em entrevista à rádio CBN. O chefe do Executivo criticou ainda a taxa de juros, que começa hoje a ser analisada pelo Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central – a decisão sobre a taxa será tomada nesta quarta (19). A expectativa é que o Copom mantenha a Selic no nível atual, de 10,5% ao ano. Para Lula, não há motivo para a taxa Selic continuar igual.

“O presidente do Banco Central, que não demonstra nenhuma capacidade de autonomia, que tem lado político e que, na minha opinião, trabalha muito mais para prejudicar o país do que para ajudar o país”, afirmou, após declarar que a autoridade monetária está “desajustada”.

Lula citou ainda o jantar em homenagem feito a Campos Neto em São Paulo, e sugeriu que ele teria pretensões político-eleitorais.

“[Tarcísio] Tem mais [poder de influência] que eu. Não é que ele encontrou com Tarcísio numa festa. A festa foi para ele, foi homenagem do governo de São Paulo para ele, certamente porque o governador de São Paulo está achando maravilhoso a taxa de juros de 10,5%”, disse Lula.

“A quem esse rapaz é submetido, como ele vai numa festa em São Paulo, quase assumindo candidatura a um cargo no governo de São Paulo? Cadê a autonomia dele?”, questionou.

A festa a que ele se refere ocorreu no Palácio dos Bandeirantes, na semana passada, por iniciativa de Tarcísio. O governador convidou alguns aliados, banqueiro e empresários num jantar a Campos Neto, que levou sua família.

Horas antes ele foi homenageado com o Colar de Honra ao Mérito Legislativo da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), maior condecoração da Casa. A honraria foi proposta pelo deputado bolsonarista Tomé Abduch (Republicanos), vice-líder do governo Tarcísio na Alesp.

Segundo relatos de presentes, o jantar teve clima ameno e descontraído. Nas conversas, Campos Neto era elogiado pela conduta à frente do BC, criticada por Lula.

“Quando ele se auto lança a um cargo…Vamos repetir [Sérgio] Moro? Presidente do Banco Central está disposto a fazer mesmo papel que Moro fez, de paladino da justiça com rabo preso com compromissos políticos?”, questionou.

Durante a entrevista desta segunda-feira, o presidente também voltou a criticar o que considera ser alta taxa de juros básico da economia.

Ele disse que conversa com presidentes de bancos internacionais e que há muito otimismo com país, relatou índices positivos e disse ficar “triste” com a Selic.

“Temos situação que não necessita essa taxa de juros. Não pode continuar com taxa de juros proibitiva de investimento no setor produtivo. (…) Que o Banco Central de comporte na perspectiva de ajudar esse país, não atrapalhar o crescimento do país”, afirmou.

Lula evitou comentar quem indicaria para a sucessão de Campos Neto no Banco Central, cujo mandato se encerra em 31 de dezembro, mesmo sendo diretamente questionado sobre o diretor e ex-secretário da Fazenda, Gabriel Galípolo, tido como um dos favoritos ao cargo.

“Vai ser uma pessoa madura, calejada, responsável. Alguém que tenha responsabilidade pelo cargo que exerce. Alguém que não se submeta a pressões do mercado, faça aquilo que for de interesse dos 213 milhões de brasileiros”.

Fonte: Folha de S.Paulo

Fotos: Fabio Rodrigues-Pozzebon/Agência Brasil e Ricardo Stuckert/PR

Compartilhe:

Leia mais
greve por redução de jornada
Três projetos sobre redução da jornada tramitam no Senado; pauta é histórica no sindicalismo
livro mpt conalis direito coletivo do trabalho
MPT abre seleção de artigos para livro sobre direito coletivo do trabalho; veja regras
reunião fessergs reestruturação carreiras servidores rs
Servidores do RS pedem mais tempo para debater projetos de reestruturação de carreiras
Diretoria sindicato rodoviarios caxias do sul
Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Caxias do Sul (RS) reelege diretoria
senado e governo reoneração folha de pagamento
STF prorroga prazo para Senado e governo discutirem reoneração da folha de pagamento
eleição diretoria sindicato servidores são vicente 2024
Sindicato dos Servidores de São Vicente (SP) elege nova diretoria em disputa acirrada
lucro recorde fgts 2023
Lucro do FGTS quase dobra em um ano e atinge recorde de R$ 23,4 bilhões em 2023
comissão provisória csb-ba
Presidente da CSB-BA pede afastamento, e Antonio Neto nomeia comissão provisória
reunião centrais e governo lei igualdade salarial
Centrais e governo avaliam resultados do primeiro ano da Lei da Igualdade Salarial
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT