A Constituição e os 300 mil

Por Antonio Neto, presidente municipal do PDT de São Paulo e presidente da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros)

Hoje é 25 de março, dia da Constituição. A data comemora a outorga em 1824 da primeira Constituição Brasileira, logo após a Independência do Brasil. De lá para cá, já se vão 197 anos e sete constituições diferentes até chegarmos à nossa Carta Magna atual, um dos textos constitucionais mais progressistas, democráticos e plurais da história. E, neste momento, reafirmá-la nunca se fez tão necessário. 

Na nossa Constituição atual, o povo brasileiro se fez Nação. Direitos, conquistas e garantias foram colocadas para que ninguém nunca mais fosse escravo de nenhum senhor. O texto odiado por uma elite escravagista é explícito ao garantir como cláusula pétrea o direito à vida, cuja inviolabilidade é mencionada no art. 5º da Constituição Federal.

Em um país de 300 mil mortos por uma pandemia que é negada pelo presidente genocida e pelo governo sócio da morte não é possível dizer que a Constituição está prevalecendo. O direito à vida é negado ao povo brasileiro com requintes de crueldade. Deixam faltar insumos, medicamentos e até oxigênio na tentativa de reafirmar a trama negacionista que já mata mais de três mil brasileiros diariamente. 

Se já não bastasse a negação na saúde, é talvez ainda mais perversa a falta de amparo social e econômico à população mais vulnerável, aos trabalhadores informais, aos profissionais liberais e às micro e pequenas empresas. Utiliza-se a emergência social para criar um conflito entre economia e vida que jamais deveria ser posto. Pior, utilizam a fome e a miséria generalizada para, na base do desespero, chantagear nosso povo e impor uma agenda de negacionismo econômico.

É chegada a hora de a Constituição Federal falar mais alto. Dr. Ulysses já dizia que certamente a Carta não era perfeita, mas era a luz em meio às trevas. E é na Constituição que está o caminho para proteger a nossa pátria dos traidores da própria Constituição. A história será implacável com os traidores e mais ainda com os omissos e cúmplices. O impedimento imediato deste governo assassino não é só pelos 300 mil que já padeceram, mas pelos 300 mil que ainda podemos salvar. Não é uma escolha difícil.

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto