Imposto sobre o 1% mais rico tiraria 2 bilhões da pobreza, diz estudo apresentado em Davos

Um imposto anual de até 5% sobre a riqueza do 1% mais rico poderia arrecadar US$ 1,7 trilhão por ano (R$ 8,68 trilhões), o suficiente para tirar 2 bilhões de pessoas da pobreza e financiar um plano global para acabar com a fome, diz a Oxfam, organização sem fins lucrativos com sede em 21 países que trabalha contra a pobreza e a desigualdade. 

A recomendação foi apresentada no relatório “A ‘sobrevivência’ do mais rico – por que é preciso tributar os super-ricos para combater as desigualdades”, lançado nesta semana no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça. 

A organização avalia que em um cenário de múltiplas crises, como a da fome, das condições de vida, do clima e da Covid-19, os únicos ganhadores são os mais ricos: “Os muito ricos ficaram imensamente mais ricos, e os lucros das grandes empresas bateram recordes, gerando uma explosão de desigualdade”, diz o relatório. 

O material apresenta um levantamento de dados que mostram essa realidade. Segundo o estudo, o 1% mais rico juntou quase dois terços de toda a nova riqueza existente, seis vezes mais do que os 7 bilhões de pessoas que compõem os 90% mais pobres da humanidade. O levantamento mostrou também que: 

  • As fortunas bilionárias estão aumentando em 2,7 bilhões de dólares por dia, mesmo com a inflação superando os salários de, pelo menos, 1,7 bilhão de trabalhadores – mais do que a população da Índia. 
  • As empresas de alimentos e energia mais do que dobraram seus lucros em 2022, pagando 257 bilhões de dólares a acionistas ricos, enquanto mais de 800 milhões de pessoas passam fome. 
  • Apenas 4 centavos de cada dólar de receita tributária vêm de impostos sobre o patrimônio, e metade dos bilionários do mundo vivem em países sem imposto sobre herança. 

A Oxfam afirma que a desigualdade é um fenômeno complexo e que para efetivamente conseguir combatê-la seria necessário um amplo leque de mudanças. O objetivo do relatório, diz a ONG, é destacar como aumentar a tributação dos mais ricos pode reduzir a desigualdade e ‘impulsionar o investimento para um futuro mais justo e sustentável’. 

Confira as recomendações apresentadas no relatório: 

  1. Criar impostos solidários de incidência única sobre o patrimônio e impostos sobre lucros inesperados para impedir que se lucre com a crise 
  2. Aumentar permanentemente os impostos do 1% mais rico para um mínimo de 60% de sua renda oriunda de trabalho e capital, com alíquotas mais altas para milionários e bilionários 
  3. Tributar o patrimônio do 1% mais rico segundo alíquotas altas o suficiente para reduzir a desigualdade 
  4. Dar poder às administrações públicas e tributárias para rastrear a riqueza das pessoas e empresas mais ricas 
  5. Romper a apropriação da política pela elite e garantir participação igualitária na formulação de políticas fiscais

Fonte: Estadão 

Leia também: Quem ganha menos de 1,5 salário mínimo pagará Imposto de Renda

Compartilhe:

Leia mais
mpt recomendação contadores contribuição sindicatos
Contador não pode incentivar oposição à contribuição sindical, orienta MPT
CSB no Forum Interconselhos 2024
Governo retoma Fórum Interconselhos com G20 Social e Plano Clima em foco; CSB participa
reuniões centrais sindicais 16 e 18 julho
Centrais realizam reuniões por região nos dias 16 e 18 de julho sobre agenda legislativa; participe
reunião CNT 10-7-24
CNT discute ação coordenada diante de transformações no mercado de trabalho
Ernesto e Álvaro CSN reunião Consea
CSB indicará nome para substituir Lino de Macedo no Conselho de Segurança Alimentar
protesto servidores Ipsemg 9-7-24
Em meio a protestos dos servidores, projeto sobre Ipsemg tem votação adiada
ministro do trabalho luiz marinho saqui aniversário fgts
Ministro do Trabalho quer fim do bloqueio do FGTS para quem optou por saque-aniversário
regra-nas-relacoes-de-trabalho-clemente-ganz-lucio
Clemente Ganz: Negociação coletiva e a estratégia de desenvolvimento produtivo
Projeto de lei motoristas em apps
Centrais sindicais criticam alterações em projeto de motoristas em apps
Protesto servidores Ipsemg
Sindicato dos Servidores do Ipsemg convoca para protesto contra projeto sobre o Instituto