poder

Ato com os presidentes das centrais em porta de fábrica nesta sexta

Os presidentes das centrais sindicais estarão nesta sexta (18/6) em ato na frente da fábrica de motores MWM, às 7 horas, como parte do dia de mobilização dos trabalhadores contra o desemprego, a fome, a reforma administrativa e as privatizações, pelo auxílio de R$ 600 e pela vacina já para todos.

O evento também é em apoio aos atos contra Bolsonaro programados para o sábado, dia 19. Na ocasião, será feita uma assembleia com os metalúrgicos e panfletagem com orientação de medidas sanitárias a serem seguidas pelos trabalhadores no ato do dia seguinte (uso de máscaras de boa qualidade, álcool em gel e distanciamento para evitar aglomerações).

“No próximo sábado, estaremos nas ruas pelo Fora Bolsonaro, mas é preciso ir além. É hora de dizer não à reforma administrativa, exigir os R$ 600 de auxílio emergencial e gritar bem alto: Vacina no braço e comida no prato!”, diz Antonio Neto, presidente da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros).

“Neste momento de profunda crise sanitária e econômica, é muito importante a união do sindicalismo, dos movimentos sociais e da sociedade geral visando gerar empregos e renda para todos”, destaca o presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

Dia Nacional de Mobilização nos Locais de Trabalho
Quando: 18 de junho, às 7h
Local: MWM (Avenida das Nações Unidas 22.002)

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra