WhatsApp-Image-2021-07-26-at-13.29.50

CSB DECIDE POR ATO PRÓPRIO NO 1º DE MAIO

Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira (18), a Direção da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) decidiu pela realização do seu próprio ato no 1º de Maio, Dia do Trabalhador, na cidade de Itatiba, interior de SP, e não participar do ato que ocorrerá na capital paulista, pelas seguintes razões:
Nas atividades realizadas anteriormente pelas Centrais, ocorreram fatos que geraram desgastes que não contribuem para o objetivo maior que é a unidade das Centrais Sindicais.

A unidade das Centrais pressupõe também solidariedade, elemento fundamental para que as ações conjuntas se deem em um ambiente de maior igualdade, afastando o protagonismo de uma em detrimento das demais.

Esta busca pelo protagonismo faz com que projetos comuns sejam deixados de lado e antecipados de forma desordenada, além de que, muitas vezes, induz militantes a posturas agressivas de hostilidades, como ocorridas recentemente, que podem chegar a via de fato contra companheiros de outras centrais, o que gera ainda mais tensão no ambiente unitário tão desejado.

Para o bem da unidade, esta igualdade deve se refletir na ocupação de espaços, posições políticas, dimensionamento de importância e outros fatores que contribuem para construção de um ambiente mais igual e democrático.

A CSB sempre trabalhou pela unidade das Centrais Sindicais. Foi assim nos últimos quatro anos no 1° de Maio, foi assim na construção de uma pauta comum e nas lutas travadas nas ruas contra as reformas neoliberais e o Governo Bolsonaro.

Entendemos que, para além da urgência de derrotar Bolsonaro e seu governo neoliberal, é necessário colocar em debate com a sociedade a mudança do modelo econômico, político e social. O Brasil precisa se reencontrar por meio de um Projeto Nacional de Desenvolvimento, que una os trabalhadores e os setores produtivos em nome do desenvolvimento nacional, do emprego digno e do combate às desigualdades.

É necessária uma reflexão ampla sobre esta realidade a fim de fortalecer a unidade das Centrais e luta da classe trabalhadora.

Antonio Neto
Presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra