Centrais sindicais se unem contra Bolsonaro: “Ninguém aguenta mais”

Entidades criticam postura do presidente da República frente às crises institucionais e a gestão de Bolsonaro no combate da pandemia

Centrais sindicais emitiram, nesta segunda-feira (30/8), uma nota em conjunto com críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo as entidades, o país enfrenta uma “escalada autoritária e uma calamitosa gestão da pandemia do novo coronavírus“.

A nota é assinada por representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central da Classe Trabalhadora, Central do Servidor e Intersindical instrumento de Luta.

Na manifestação, as lideranças sindicais afirmam que o país atravessa “um dos momentos mais difíceis de sua história desde a declaração de independência” e cobram ação do governo federal para contornar as crises decorrentes da pandemia.

“Incapacidade”

Na avaliação dos sindicalistas, Bolsonaro “já demonstrou total incapacidade política e administrativa e total insensibilidade social”.

“Ninguém aguenta mais. Vivemos no limiar de uma grave crise institucional. A aparente inabilidade política instalada no Planalto que acirra a desarmonia entre os poderes da República, esconde um comportamento que visa justificar saídas não constitucionais e golpistas”, enfatizam as centrais sindicais.

Os sindicalistas pedem que o Legislativo e o Judiciário “tomem à frente de decisões importantes em nome do Estado Democrático de Direito”.

“Não apenas para conter os arroubos autoritários do presidente, mas também que disponham sobre questões urgentes como geração de empregos decentes, a necessidade de programas sociais e o enfretamento correto da crise sanitária”, prosseguem as lideranças.

Ao Metrópoles, o presidente da CSB, Antonio Neto, destaca a necessidade “urgente de uma vigília ampla” dos demais poderes em relação à conduta do chefe do Executivo. “Se Bolsonaro e sua corte miliciana, que ocupa o Planalto, atentar contra a nossa democracia, caberá às instituições aplicarem o que rege a Constituição Brasileira contra qualquer aventura golpista”, disse.

Fonte: Metrópoles

 

Compartilhe:

Leia mais
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)
Nota das centrais selic
Centrais pedem redução dos juros: "por desenvolvimento com justiça social"
lula critica campos neto
Lula diz que Campos Neto tem lado político e trabalha para prejudicar o país
campos neto presidente bc
Procurador pede investigação sobre influência de bancos na definição dos juros pelo BC
Encontro CSB China
CSB promove encontros com entidades sindicais chinesas em SP e RJ; inscreva-se
CSB-RS conselho plano rio grande
Reconstrução do RS: CSB toma posse como membro do Conselho do Plano Rio Grande
distribuição extra fgts
Após acordo com centrais, governo fará distribuição extra do FGTS aos trabalhadores