Central dos Sindicatos Brasileiros

8º grito de Alerta Missões Fronteira Noroeste, no Rio Grande do Sul, reafirma a importância da luta pelo homem do campo

8º grito de Alerta Missões Fronteira Noroeste, no Rio Grande do Sul, reafirma a importância da luta pelo homem do campo

CSB participou do evento, que destacou a participação das entidades do estado nos embates pelos trabalhadores rurais

Historicamente, o Rio Grande do Sul sempre esteve à frente da luta do homem do campo pelos seus direitos. Reafirmando esse fato, a Seccional RS da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) participou, nesta quinta-feira (17), da 8ª edição do Grito de Alerta Missões Fronteira Nordeste.

Acampados desde a última terça (15), cerca de 8 mil trabalhadores rurais e pequenos agricultores, de acordo com os números da organização, ignoraram a chuva do dia anterior e marcharam por 15 km, entre as cidades de Entre-Ijuís e Santo Angelo, a 426 km da capital do estado, para reivindicar as pautas da agricultura familiar.

O evento, que teve como tema central “Brasil, que País é esse?”, e também dá início ao Grito da Terra Brasil, é organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (FETAG) e suas regionais Sindicais Missões I, Missões II, Santa Rosa, Três Passos e Ijuí, assim como a FETAR-RS.

A CSB, que também ajudou na organização, foi representada pelo seu vice-presidente Sérgio Arnoud, que fez uma palestra para mais de 60 sindicatos rurais abordando o assédio e a violência no mundo do trabalho, tema que será discutido na Organização Internacional do Trabalho (OIT).

“É muito importante a união entre os trabalhadores rurais e urbanos em busca de um Brasil mais justo. É importante também a Central estar junto desses trabalhadores promovendo este trabalho de unificação, para que todos tenham a mesma bandeira e pontos em comum para defender. O RS sempre teve grande importância na organização dos trabalhadores, especialmente os trabalhadores rurais, e com essa participação a CSB se credencia para ocupar um protagonismo maior no cenário do mundo do trabalho no Rio Grande do Sul”, falou.

Coordenador do Macro Região Missões Fronteira Noroeste, Agnaldo Barcelos da Silva destacou a importância da participação da CSB e avaliou o evento de forma positiva.

“O grito de alerta foi um sucesso, quero aproveitar para agradecer o apoio da CSB, uma Central que chegou e participou com nós desde o acampamento na última terça-feira. Estiveram também na grande mobilização, fazendo força com nós e trazendo alguns sindicatos urbanos para somar. Queremos agradecer em nome dos trabalhadores familiares a participação e dizer que o grito de alerta foi sucesso, não somente pelo desenrolar da pauta, mas pelo agricultor que veio para cá e saíram com a certeza de que o Brasil pode ser melhor, e que esse Brasil nós precisamos construir”, concluiu Silva, que também é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Antônio das Missões e Garruchos.

Compartilhe!