Central dos Sindicatos Brasileiros

Congresso da CSPB inicia para discutir a realidade dos servidores públicos

Congresso da CSPB inicia para discutir a realidade dos servidores públicos

Evento irá debater necessidade do Estado Social, negociação coletiva no setor público, direito de greve e custeio

Dirigentes da CSB prestigiaram a cerimônia de abertura do 24º Congresso Nacional da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), realizada na noite desta quarta-feira (29). Com o tema “Do Estado que temos ao Brasil que queremos”, o evento acontece no auditório do Hotel Nacional, em Brasília, e termina nesta sexta-feira (1º).

Para o secretário de Formação Sindical da CSB, presidente da Federação Única Democrática de Sindicatos das Prefeituras, Câmaras Municipais, Empresas Públicas e Autarquias de Minas Gerais (FESERP/MG) e diretor financeiro da CSPB, Cosme Nogueira, a edição deste ano marca um período de transformação para o movimento sindical.

“Acredito que 2018 será um ano de muitos desafios. O movimento sindical vai ter que se reinventar diante das dificuldades. E esse Congresso veio em um momento muito oportuno para a gente fortalecer o debate. A CSB tem muitos sindicatos de servidores públicos, principalmente de servidores municipais, e esses sindicatos estão aqui no evento”, afirmou.

O secretário nacional dos Servidores Públicos da CSB, presidente da Federação dos Servidores Públicos Municipais do Estado do Espírito Santo (FESPUMEES) e representante do presidente da CSB, Antonio Neto, no Simpósio, Jorge Antônio da Silva Nascimento ressaltou a troca de experiências da oportunidade. “A gente está interagindo bastante no Congresso, o pessoal está pegando contatos novos, e a importância de estarmos aqui é que acabamos conhecendo outros presidentes de sindicato, outras federações, angariando mais para a CSB”, frisou.

O diretor de Relações Internacionais da CSPB, Sérgio Arnoud, acredita que o evento será fundamental na criação de um discurso unificado. “Nossa participação no Congresso é importante porque visa influir no plano de lutas, de ação, que nós pretendemos que seja unitário, de todas as organizações sindicais do País contra esse desmonte do Estado Brasileiro e que começa pelo desmonte do serviço público”, analisou.

Greve geral

Em discurso, o senador Paulo Paim (PT-RS) convocou todos os presentes para a greve geral das centrais sindicais. “No dia 5 de dezembro, nós vamos estar todos unidos nessa grande mobilização. Tem que ter greve geral nesse País. Cada um de nós, sindicalistas, tem que cumprir a sua parte, e sei que nós vamos cumprir. Nós perdemos este ano o que construímos ao longo de nossas vidas”, pontuou.

Programação

Durante os três dias e em comissões, os congressistas vão discutir diversos temas, como “A necessidade do Estado Social”, “Negociação Coletiva no Setor Público”, “Direito de Greve no Setor Público”, “Convenção 151 da OIT: Organização e Custeio da Organização Sindical do Setor Público”, além do Plano de Ação.

O seminário deste ano homenageia o sindicalista Hélio de Mello, ex-dirigente da CSPB e ex-presidente do Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Civis do Brasil (UNSP).

Compartilhe!