CSB repudia ataques sexistas contra a presidenta Dilma Rousseff

Em nota, Central pede que os responsáveis pela produção do material infame que deprecia a imagem da líder política brasileira sejam punidos com rigor da Lei

A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) emitiu, hoje (7), uma nota na qual manifesta repúdio às demonstrações de ódio e aos ataques sexistas que a presidenta Dilma Rousseff tem sofrido nas mídias sociais e por meio de adesivos que fazem apologia à violência sexual contra as mulheres.

De acordo com presidente da CSB, Antonio Neto, nenhum tipo de manifestação política e contrária ao governo pode justificar a banalização e a propaganda da violência contra as mulheres. “As mulheres, há décadas, lutam pela igualdade de gênero e pelo empoderamento feminino. Permitir que esses tipos de ataques aconteçam é permitir que haja retrocesso na sociedade. Além disso, a mulher em questão é a presidenta da República, o que reforça a violência sexista que a mulher enfrenta na política. Nós da CSB, em respeito a todas as mulheres, solicitamos aos órgãos competentes que investiguem e punam com rigor da Lei, os responsáveis pela produção e utilização do material infame que deprecia a imagem da líder política brasileira de maneira vergonhosa”, afirmou o dirigente.

A Central dos Sindicatos Brasileiros, como defensora dos direitos das mulheres, faz o alerta à sociedade e ao Poder Judiciário sobre o teor violento e discriminatório dos adesivos nos carros e das montagens que circulam pela internet. “Nos solidarizamos com a presidenta Dilma Rousseff e, acima de tudo, com as brasileiras, disse Neto.

Leia a íntegra da nota de repúdio divulgada pela CSB:

Nota de Repúdio

A Central de Sindicatos Brasileiros – CSB vem a público formalizar veemente seu repúdio à violência criminosa promovida contra as mulheres brasileiras por meio dos ataques sexistas efetuados contra a presidenta da República Dilma Rousseff.

Independentemente de posicionamentos políticos ou opiniões ideológicas, quaisquer brasileiros e brasileiras, minimamente humanizados, não podem ficar inertes diante da proliferação de materiais agressivos, que exaltam a violência sexual contra todas as mulheres ao expor imagens da presidenta da República em adesivos de carro que representam cenas sexuais. Isso é uma afronta às mulheres, às crianças e contra todos os brasileiros e brasileiras.

A CSB, em respeito a todas as mulheres e aos movimentos sociais que lutam pela igualdade de gênero e de combate a todas as formas de preconceito e discriminação, buscando uma cultura de paz para o Brasil, solicita aos órgãos competentes que investiguem e punam com rigor da Lei  os responsáveis pela produção e utilização do material infame que deprecia a imagem da líder política brasileira de maneira vergonhosa.

Nos orgulhamos de ser uma nação democrática. Nossa democracia tem muitas vozes, ideias e opiniões diferentes, mas defendemos que a liberdade de expressão de forma alguma possa ser usada para justificar a violência ou apologia a abusos sexuais ou estupros.

Por estas razões, a CSB reafirma a sua posição contrária a qualquer manifestação que promova ou justifique a banalização da violência contra as mulheres. Por fim, externamos e manifestamos nosso apoio e solidariedade à Presidenta Dilma Rousseff, liderança que já enfrentou todo tipo de agressão e desrespeito, mas que sempre esteve firme para defender a democracia.

E que a liberdade e o respeito sejam com todas e para todas!

Central dos Sindicatos Brasileiros

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)