WhatsApp-Image-2021-11-08-at-14.31.03

PEC no Congresso quer reduzir idade mínima para trabalhar: centrais reagem

Proposta é que idade mínima para trabalhar reduza para 14 anos. As centrais argumentam que menores de idade de classes mais baixas seriam os mais prejudicados, porque já são a maioria dentre os trabalhadores infantis

Nove centrais sindicais entraram com ação conjunta fazendo um apelo para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2011 seja rejeitada. De acordo com o texto, a idade mínima para começar a trabalhar mudaria de 16 para 14 anos.

A Constituição prevê que menores de 16 anos sejam enquadrados na modalidade de jovem aprendiz. No entanto, de acordo com reportagem do UOL, a PEC adiantaria “o trabalho sob regime de tempo parcial” para os 14 anos.

As centrais sindicais alegam que tal medida pode agravar o número de jovens sem emprego e, além disso, influenciar negativamente no desenvolvimento cognitivo, intelectual e social dos adolescentes.

As entidades classistas destacam ainda, que a PEC pode ampliar as diferenças sociais, porque os menores de idade de camadas mais baixa da sociedade representam o topo da pirâmide do trabalho infantil.

A atualização mais recente da PEC, que foi proposta há 10 anos, ocorreu na quarta-feira (3). Nessa sessão da Câmara dos Deputados, a oposição moveu pedido para que o tópico fosse removido da pauta, mas não obteve sucesso.

As nove centrais apelam que os parlamentares do Plenário da Câmara ou da CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) se coloquem contra a proposta.

Leia a nota das Centrais Sindicais clicando aqui

 

 

Compartilhe:

Leia mais
discurso lula OIT
Em discurso na OIT, Lula destaca precarização e informalidade como desafios para justiça social
Antonio Neto CSB na OIT 12-06-24
Antonio Neto na OIT: Tecnologias disruptivas podem ser oportunidade para os trabalhadores
Centrais sindicais apresentam denúncia contra governo do Paraná à OIT
Centrais denunciam governo do Paraná na OIT por repressão de greve de professores
FGTS correção inflação decisão stf
Acordo entre centrais e AGU prevalece no STF: FGTS deverá ter correção mínima pela inflação
miguel torres discurso centrais sindicais oit
Centrais pedem fim do golpismo no Brasil em discurso dos trabalhadores na OIT
Luiz Marinho discursa na OIT 2024
Na OIT, Luiz Marinho defende sindicatos e taxação de grandes fortunas
vigilantes niterói ato 13 de junho
Vigilantes de Niterói convocam ato por mais segurança para mulheres da categoria
vinicolas-no-rs-tinham-200-pessoas-em-condicoes-analogas-a-escravidao
Auditores fiscais do Trabalho repudiam fala de dirigente da CNA sobre trabalho escravo
assembleia rodoviários pelotas 10-6-2024
Rodoviários de Pelotas começam a negociar acordos em cenário após enchentes
Comitiva da CSB com ministro Luiz Marinho na Conferência da OIT 2024
Em reunião do Brasil na OIT, empresário diz que Bolsa Família atrapalha mão de obra