Escravizada durante 38 anos, mulher ganha casa onde trabalhou, carro e mais R$ 20 mil

Durante 38 anos, Madalena Gordiano, de 47 anos, trabalhou em condições análogas à escravidão para uma família. Em um processo movido pela ex-funcionária contra os ex-patrões, ela cobrava R$ 2.244.078,81 em direitos trabalhistas. O Tribunal Regional do Trabalho da terceira região em Patos de Minas propôs, na última terça-feira (13), uma quantia de R$ 690.100,00, que foi aceita, segundo o UOL.

O pagamento será efetuado através da entrega do apartamento em que ela trabalhou, avaliado em R$ 600 mil. Além do imóvel, Madalena receberá o carro dos antigos patrões, um Hyundai, avaliado em R$ 70 mil, e mais R$ 20 mil.

O imóvel, contudo, acumula uma dívida embutida de R$ 180 mil. A defesa de Gordiano informou que este foi o maior acordo na história do MPT-MG sobre relações de trabalho análogos ao escravo.

Entenda o caso

Em entrevista ao Fantástico, Madalena revelou que tinha oito anos quando bateu na porta da casa da professora Maria das Graças Milagres Rigueira para pedir um pão, pois estava com fome. Segundo Gordiano, a educadora respondeu ela dizendo: “Não vou te dar não. Você vai morar comigo”.

A vítima foi tirada da escola ainda pequena e não teve acesso a brincadeiras infantis. “Não brincava. Não tinha nem uma boneca”, contou. Após alguns anos, Madalena foi rejeitada pelo marido de Maria das Graças e foi “doada” para Dalton Cesar Milagres Rigueira, também professor.

Na nova residência, Gordiano sofria com a mesma rotina: trabalhava sem folga e começava, geralmente, às 4h da manhã.

Após conseguir sair da casa da família Milagres Rigueira, Madalena descobriu que cinco empréstimos consignados foram feitos em seu nome, o que resultava em um desconto de R$ 5 mil por mês.

Em junho, a defesa da vítima conseguiu entrar em acordo com os bancos e os descontos vão cessar. Com a ação, ela poderá receber de forma integral a pensão de R$ 8,4 mil. Anteriormente, o dinheiro de Gordiano ajudou a custear a faculdade de Medicina das filhas do casal.

Fonte: Istoe

00:00/01:00

Compartilhe:

Leia mais
Chinelo - Antonio Neto e Cosme Nogueira fundação Fesmig
CSB, Sinab e CSPM celebram criação da Fesmig - Federação dos Servidores de Minas Gerais
STF reverte reforma previdência para servidores
STF forma maioria para reverter pontos da Reforma da Previdência para servidores
Imagem CSB (28)
CSB NA 112ª CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT 2024
Sticmpel campanha salarial 2024-2025
Trabalhadores da Construção e Mobiliário de Pelotas iniciam campanha salarial 2024/2025
Apoio Financeiro a trabalhadores empresas calamidade RS
Governo abre cadastro para Apoio Financeiro a trabalhadores atingidos por calamidade no RS
home office trabalho híbrido estudo
Trabalho híbrido melhora satisfação no emprego e não afeta produtividade, diz estudo
reunião centrais rs e oit
Centrais e OIT discutem impacto das enchentes no mercado de trabalho do RS
plano erradicação trabalho escravo será atualizado
Plano para Erradicação do Trabalho Escravo será atualizado após 16 anos
podcast fetrarod
Fetrarod lança podcast para discutir temas de interesse dos rodoviários; assista aqui
Manifesto contra PL do estupro
Mulheres sindicalistas divulgam manifesto contra PL do Estupro (PL 1904/24)