Central dos Sindicatos Brasileiros

Falta trabalho para 27,4 milhões de pessoas; 4,7 milhões desistem de buscar

Falta trabalho para 27,4 milhões de pessoas; 4,7 milhões desistem de buscar
Em 2018, o universo de desempregados praticamente dobrou; salto de 90,3%

 

Em 2018, faltou trabalho para 27,4 milhões de brasileiros, uma alta de 3,4% em relação a 2017. Isso inclui desempregados, pessoas que gostariam de trabalhar mais e aquelas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. Com isso, a chamada taxa de subutilização da força de trabalho atingiu o recorde de 24,4%. Outro recorde ruim do ano passado foi o de pessoas que desistiram de procurar trabalho: cerca de 4,7 milhões de brasileiros, oficialmente chamados de “desalentados”. Em relação a 2017, o aumento foi de 13,4%.

Desemprego cai, informalidade sobe

De forma geral, o desemprego deu uma trégua no Brasil e fechou 2018 em queda, algo que não acontecia havia três anos. Em 2018, a taxa média de desocupação foi de 12,3%, queda de 0,4 ponto percentual em relação à de 2017 (12,7%). Essa queda, no entanto, não ocorreu porque foram criadas mais vagas com carteira assinada, mas porque um número recorde de pessoas recorreu ao trabalho informal. O ano passado terminou com 12,8 milhões de brasileiros desempregados, menos que os 13,2 milhões de 2017. Porém, em relação a 2014, melhor ano desde que a pesquisa começou a ser feita, o universo de desempregados praticamente dobrou –teve um salto de 90,3%.

Metodologia da pesquisa

A Pnad Contínua é realizada em 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios. O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados. Existem outros números sobre desemprego, apresentados pelo Ministério do Trabalho, com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados são mais restritos porque consideram apenas os empregos com carteira assinada.

Fonte: UOL

Compartilhe!