Central dos Sindicatos Brasileiros

Em reunião com Rodrigo Maia, centrais pedem retirada da MP 873

Em reunião com Rodrigo Maia, centrais pedem retirada da MP 873

CSB foi representada pelo vice-presidente Leandro Allan, que entregou ao presidente da Câmara nota da Central e demais entidades sobre mais um equívoco da Medida Provisória

Em reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, na noite desta terça-feira (12), as centrais sindicais pediram apoio ao parlamentar para barrar a Medida Provisória 873/2019, que altera a cobrança da contribuição sindical.

Representando a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), o vice-presidente Leandro Allan Vieiramostrou o posicionamento da Central em relação à MP, considerada inconstitucional por várias entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil.

“Pedimos a retirada da MP por parte do Rodrigo Maia, seja através de apoio ou de uma intervenção dele na tratativa com o presidente, para que essa MP seja retirada pelo Executivo. Se trata de uma medida inconstitucional e imoral, pois é o Estado interferindo nas relações entre sindicatos e representados. Além disso, a medida impede que os trabalhadores possam ter uma representatividade”, explicou Allan.

Segundo o dirigente, Rodrigo Maia afirmou que não poderia interferir, mas ficou surpreso com a MP publicada.

“ Ele [Rodrigo Maia] informou que essa competência é do presidente do Senado, mas se mostrou surpreso quando teve o conhecimento da MP, pois não esperava que o governo fosse fazer tal arbitrariedade, pois não foi discutido com o Congresso Nacional e não cumpre os requisitos da urgência e relevância. Ele recebeu com muita estranheza e não concorda com a MP”, completou o vice-presidente da CSB.

Allan entregou ao presidente da Câmara nota pública assinada pela Central e outras entidades alertando sobre a ameaça que a medida provisória causará à economia brasileira; o documento também foi entregue ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

Compartilhe!