Central dos Sindicatos Brasileiros

Sindicato cobra realização de concurso público

Sindicato cobra realização de concurso público

O presidente do Sintesmat, Carlos Júnior, cobrou em duas ocasiões distintas, nos últimos dias, a urgente realização de concurso público para preencher as carências de pessoal técnico para a Universidade do Estado de Mato Grosso.

Na última sexta-feira (02/03), o Sintesmat participou de reunião ampliada da Gestão da Universidade com o Governador do Estado, Pedro Taques, e sua equipe de Governo, durante a realização da Caravana da Transformação, em Cáceres. A reunião ocorreu no meio da tarde, e foi realizada no auditório de Educação Física, na Cidade Universitária.

Além de autoridades estaduais e municipais, participaram Diretores de Unidade Regionalizada Política e Administrativa dos diversos câmpus da UNEMAT, além de docentes, acadêmicos e sociedade em geral.

Na ocasião, Carlos enfatizou a necessidade urgente de recomposição do quadro de servidores técnicos da Unemat, que enfrenta grande defasagem de pessoal em suas diversas unidades espalhadas pelo Estado. Foi entregue ao próprio Governador, um conjunto de documentos, inclusive do próprio Governo, que asseguravam a realização do concurso, sendo divulgado inclusive seu cronograma de execução, que até hoje não foi cumprido, dentre outros compromissos assumidos pelo Governo junto à Universidade.

O concurso, solicitado há vários anos, desde 2016  tramita (sob protocolo 204120/2016) em unidades do Governo Estadual, sendo que em julho de 2016 o secretário Júlio Modesto informou ao Sindicato andamento do concurso, com seu cronograma de execução, que previa publicação de edital em março de 2017.  Àquela ocasião, o concurso solicitado previa 150 vagas, distribuídas na carreira dos PTES entre Auxiliares (09), Agentes (100) e Técnicos (41). Entretanto, recentemente, o Governo enviou parecer à Unemat reduzindo o quantitativo de vagas para apenas 37, fato que trouxe grande descontentamento à representação da categoria, visto que as 150 vagas previstas originalmente passam longe de preencher a demanda, reduzi-las em 1/4 não contribui de nenhuma forma para resolver a demanda do corpo técnico da Instituição.

A quantidade de vagas de pessoal técnico na Universidade é regulada pela LC 321/2008, sendo previstas 1.000 vagas, distribuídas entre auxiliares (150), agentes (700) e técnicos (150). Todavia, conforme lotacionograma do último 4º trimestre de 2017 (publicado no D.O. em 11/01/2018), existem 374 vagas sem preenchimento na carreira dos profissionais técnicos da Universidade. Devido à incorporação dos câmpus de Diamantino e Nova Mutum, existem ainda 59 técnicos contratados exercendo suas funções nestas duas unidades.

Questionado pelo Sintesmat, o Governo determinou que o Secretário Adjunto da SEGES, presente à Caravana, se reunisse com a Gestão da Universidade e equipe do Sindicato para discutir o andamento do concurso e prestar esclarecimentos.

Já nesta terça-feira (06), equipe da Diretoria Executiva foi recebida pela Reitora da Unemat, profª Ana Maria di Renzo, e os pró-reitores de Administração Gustavo Domingos Sakr Bisinoto e Planejamento e Tecnologia da Informação, Francisco Lledo dos Santos.

Na ocasião, Carlos Júnior cobrou novamente da gestão da Unemat apoio ao concurso público para preenchimento das vagas ociosas, além de manifestar descontentamento com o gesto do Governo de reduzir as vagas solicitadas em concurso. A Reitora determinou à sua equipe que retorne o processo do concurso ao Governo, cobrando as vagas originalmente pleiteadas. Comprometeu-se ainda, em conseguir agenda conjunta, para levar o assunto novamente à discussão dentro do Governo.

Nesta reunião, foram tratados ainda, outros assuntos, dentre eles, a questão das perícias para pagamento do adicional de insalubridade/periculosidade dos servidores que exercem atividades em locais insalubres na Universidade. Este assunto se arrasta no Governo já há mais de cinco anos, e o sindicato tem cobrado incessantemente não só o Governo, como também a gestão da Universidade, que tome providências para que esse assunto seja solucionado o mais breve possível.

Além dessa pauta, o Sintesmat questionou o andamento do programa de Mestrado, que será ofertado aos servidores técnicos em parceria com outra Universidade, e foi informado que a Universidade está nas tratativas para celebrar o instrumento de convênio e o processo formal do programa se iniciar.

Fonte: SINTESMAT

Compartilhe!