Central dos Sindicatos Brasileiros

Seccional Mato Grosso divulga nota de repúdio contra jornalista que ofendeu professores de Sapezal

Seccional Mato Grosso divulga nota de repúdio contra jornalista que ofendeu professores de Sapezal

Ato aconteceu após reprovação de Projeto de Lei que acabava com tradicionais feriados brasileiros na cidade

A Seccional Mato Grosso produziu e publicou em suas redes sociais, na última terça-feira (6), nota de repúdio contra o jornalista da Rede TV conhecido como Bidu, por acusações feitas aos profissionais da educação da cidade de Sapezal, 500km da capital do estado, Cuiabá. Segundo a nota, o apresentador do programa local “Cidade no Ar” teria pressionado os vereadores para aprovar Projeto de Lei que acabava com tradicionais feriados, incluindo alguns nacionais.

O projeto, segundo a nota, não levava em consideração a rotina estabelecida há décadas de toda classe trabalhadora, além de não avaliar as tradições religiosas.

“[…] como desconsiderou a rotina de décadas estabelecida no cotidiano de toda classe trabalhadora local, pública ou privada, que, também se programa para ter um pouco de lazer e descontração. Afinal, “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte…”.

Insatisfeitos com a situação, servidores públicos e a população em geral se mobilizaram e lotaram a Câmara dos Vereadores, que decidiu pela não aprovação do PL. Após decisão dos parlamentares, o citado jornalista não presou pela liberdade democrática de se manifestar e acusou os professores de terem convocado alunos a participarem do ato. O jornalista ainda ofendeu os vereadores contrários e os professores, chamando-os de vagabundos.

Em nota, a Seccional parabenizou o trabalho do Sindicato dos Servidores Municipais, presidido por Jader Mayer e salientou a importância da educação e da liberdade democrática das manifestações.

“É um direito inalienável em uma democracia o de manifestação […]”

 “[…] o professor e os profissionais da educação são as profissões mais importantes e reconhecidas. Nunca é demais lembrar que para qualquer um ser um profissional formado, deve isto a inúmeros professores durante a vida toda, e aqui se inclui até os jornalistas, como supostamente o é o apresentador em questão […]”

A direção da Seccional finaliza a nota parabenizando os atores principais envolvidos nesta luta.

“Nunca se fez tão importante uma educação crítica e formadora de cabeças pensantes e contestadoras. Parabéns aos alunos, a sociedade em geral e aos servidores que fizeram valer seu direito ao lazer e descanso, usando da mais bonita das vias democráticas, a mobilização da coletividade. E parabéns aos Vereadores e Vereadoras que ouviram a voz do POVO!”.

Leia a nota de repúdio na íntegra:

No dia 05/03/2018, foi convocada seção na Câmara de Vereadores de Sapezal/MT, onde foi apresentado projeto de lei que acabava com uma série de feriados, incluindo alguns nacionalmente reconhecidos. Tal projeto foi elaborado por pressão do Jornalista da Rede TV local, conhecido como Bidu, que apresenta o programa “Cidade no Ar”, da Rede TV Canal 44.

O projeto em questão, deixou de avaliar tradições religiosas, bem como desconsiderou a rotina de décadas estabelecida no cotidiano de toda classe trabalhadora local, pública ou privada, que, também se programa para ter um pouco de lazer e descontração. Afinal, “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte…”.

Por tais e outras razões somadas, o mencionado projeto de lei não foi bem recebido pela comunidade local, onde se inclui aí os servidores públicos que, unidos com o conjunto da sociedade, lotaram a câmara de vereadores, democrática e educadamente, reivindicando serem ouvidos e, mostrando sua contrariedade com a extinção dos feriados religiosos ou não.

A pressão popular surtiu efeito como deve ser em uma democracia evoluída, que houve a voz das ruas. Mas o gesto democrático e inteligente da câmara, que ouviu o povo e, que por votação da maioria reprovou o projeto esdrúxulo, não foi bem recebido pelo idealizador do mesmo, o “jornalista” Bidu.

O referido jornalista em grupos de Whats App, acusou sem provas, que professores teriam “convocado” alunos a participarem da seção na câmara quando seria votado o projeto em tela. Não bastasse tal absurdo vindo de um profissional da imprensa que deve, mais que ninguém, presar pela liberdade democrática de se manifestar, seja quem for, aluno ou professor, casado ou solteiro, jovem ou velho, homem ou mulher. É um direito inalienável em uma democracia o de manifestação.

Não bastasse isso ainda chama os Vereadores que reprovaram a lei de vagabundos e, que os professores seriam tudo da mesma corja, ou seja, os chamando indiretamente de vagabundos também.

Nunca é demais lembrar que em países sérios, o professor e os profissionais da educação são as profissões mais importantes e reconhecidas. Nunca é demais lembrar que para qualquer um ser um profissional formado, deve isto a inúmeros professores durante a vida toda, e aqui se inclui até os jornalistas, como supostamente o é o apresentador em questão.

A CSB MT REPUDIA tal abordagem grosseira e criminosa para com a classe da educação do município de Sapezal, muito bem representada pelo Sindicato de Servidores Municipais, presidido pelo Sr Jader Mayer que, sabemos, tomará as medidas necessárias para ver retratado tal fala infeliz.

Nunca se fez tão importante uma educação crítica e formadora de cabeças pensantes e contestadoras. Parabéns aos alunos, a sociedade em geral e aos servidores que fizeram valer seu direito ao lazer e descanso, usando da mais bonita das vias democráticas, a mobilização da coletividade. E parabéns aos Vereadores e Vereadoras que ouviram a voz do POVO!

Cuiabá 06/03/2018

Dianyeire Dias

Presidente da CSB MT

Antônio Wagner Oliveira

Vice-Presidente da CSB MT

João Figueiredo

Secretário Geral da CSB MT

Compartilhe!