Central dos Sindicatos Brasileiros

Sindicato em Goiás filia-se à CSB, e base cresce com sindicatos fortes

Sindicato em Goiás filia-se à CSB, e base cresce com sindicatos fortes

Representação dos trabalhadores em cargas e descargas em geral (Sincargas-Go) conseguiu, em março, reconhecimento da categoria no calendário da cidade de Itumbiara

O Sindicato dos Trabalhadores  em Cargas  e Descargas em Geral  de Itumbiara (Sincargas-Go), interior de Goiás, é o mais novo filiado à CSB. Com atuação forte, a entidade conquistou o reconhecimento da profissão no calendário da cidade. A conquista é celebrada como um meio para que a profissão seja mais conhecida. Luta encampada pelo presidente Antonio José da Silva, o tesoureiro Wender Rodrigues da Silva e os demais associados.

A Lei 12.023 de 2009 regulamenta a atividade dos movimentadores de mercadorias e, entre outros pontos, rege as atividades dos trabalhadores avulsos como aquelas “desenvolvidas em áreas urbanas ou rurais sem vínculo empregatício, mediante intermediação obrigatória do sindicato da categoria, por meio de Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho para execução das atividades”. A data escolhida pela cidade de Itumbiara para celebrar o dia da categoria é exatamente o dia em que a Lei 12.023 foi sancionada dia 27 de agosto.

 Filiação à CSB
O presidente da seccional Goiás, Sandro Jadir, vê com entusiasmo a chegada do sindicato à CSB. “É uma vitória. Vitória dupla. Ter um sindicato forte, que tem o trabalho reconhecido no município ao lado da CSB é importante. Estamos felizes e vamos andar juntos”, diz.

O presidente do Sincargas-Go, Antonio José da Silva, diz que escolheu a CSB porque pesquisou muito, viu que a Central tem crescido, mantido a base e valorizado a categoria que ele ainda representa e que o ajudou a levar uma vida justa e a sustentar a família e os filhos. “Estamos acreditando e apostando na CSB. É uma central que luta pela categoria; as outras centrais dão suporte, mas não estão tão presentes. Temos que olhar para quem nos olha. A CSB sabe que o importante não é o tamanho da entidade, e sim a luta”, diz confiante.

Compartilhe!